Cientista cria «cérebros» para ajudar autistas
A cientista portuguesa, Catarina Seabra, faz investigação com "mini-cérebros": organóides cerebrais que cria em laboratório a partir de células de dentes de leite de crianças com autismo para procurar caminhos para tratamentos.

Em 2019 descobriu-se que o potencial desta poderosa ferramenta para estudar o cérebro e as doenças que o afetam é ainda maior do que se pensava.

Uma conquista da ciência que abre caminhos promissores na medicina mas que obriga os investigadores a definir fronteiras éticas.

O autismo é um problema psiquiátrico que costuma ser identificado na infância, entre 1 ano e meio e 3 anos, embora os sinais iniciais às vezes apareçam já nos primeiros meses de vida. O distúrbio afeta a comunicação e capacidade de aprendizado e adaptação da criança.

Fonte: SIC

REAÇÕES

COMENTÁRIOS