Chuva deixa mais de 70 vítimas em seis meses


Trinta e nove pessoas morreram e 32 ficaram feridas, entre 08 de Setembro de 2019 a 26 de Fevereiro deste ano, em consequência das chuvas na província do Huambo.

Os dados constam no relatório de balanço sobre os danos causadas pelas chuvas apresentado durante o encontro da Comissão Provincial de Protecção Civil, orientando pela governadora desta província, Joana Lina.

Nove mil e 935 pessoas ficaram desalojadas, com a destruição total de 207 casas e mil e 780 de forma parcial.

Ao longo deste período, segundo o documento, dez casas ficaram inundadas, tal como o Centro de Tratamento e Captação de Água junto ao rio Culimahãla, e  a destruição de 46 escolas, 24 igrejas, 27 pontes, nove pontecos, entre outros danos.

Em consequência da chuva, registou-se igualmente o transbordo dos rios Culimahãla, Cunene e Queve, assim como a morte de 34 cabeças de gado bovino, por descargas eléctricas, a destruição de um centro de saúde, o surgimento de 38 ravinas e 329 casas ficaram em risco extremo de desabamento.

Em breves palavras, a governadora Joana Lina instou os administradores municipais no sentido de aconselharem a população sobre as medidas de prevenção a ter, sobretudo, contra as descargas eléctricas e todos outros males que, eventualmente, possam surgir quando estiver a chover.

Crédito de Angop

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   


COMENTÁRIOS NO FACEBOOK