Cesta básica mensal custa 4 vezes mais do que o salário mínimo nacional


Tendo como base a cesta básica para uma família de seis pessoas utilizada pela UNTA no relatório de sustentação da proposta do salário mínimo, concluímos que o valor aprovado chega apenas para comprar 25% da cesta básica mensal no mercado informal. No formal a cobertura é de apenas 12,4%.

A cesta básica no mercado informal custa quatro vezes mais do que o salário mínimo nacional, segundo cálculos feitos pelo Expansão com base nos dados fornecidos pela UNTA - União Nacional dos Sindicatos Angolanos, que elaborou uma proposta técnica com o objectivo de calcular o Salário Mínimo Nacional. Esta cesta básica foi pensada para uma família de seis pessoas. 

A lista é composta por dezasseis produtos, nomeadamente arroz, feijão, carne, trigo, leite, batata, sal, açúcar, massa alimentar, óleo alimentar, peixe, coxa de frango, fuba de bombó e de milho, tomate e cebola, com quantidades estimadas para um consumo mensal.

Segundo os cálculos feitos, os preços praticados em três supermercados, nomeadamente Maxi, Candando e Shoprite, elevam a cesta básica aos 258.225 Kz. Já no mercado informal constatou- -se que o mesmo conjunto de produtos atinge os 127. 150 Kz, uma diferença de 131.075 Kz. Fazendo uma comparação entre o salário mínimo nacional mais baixo para o sector da agricultura, que é de 32.181 Kz (este é o valor actual, pois o que foi aprovado recentemente ainda não entrou em vigor) e a cesta básica no mercado informal que custa 127.150 Kz ou equivalente a 285,86 USD, percebe-se que o grau de cobertura é de apenas 25%.

Se os cálculos seguirem o preço da cesta básica no mercado formal (258.225 Kz), a taxa de cobertura diminui ainda mais e assegura apenas 12,4%, ou seja, são necessários sete ordenados mínimos para comprar os produtos essenciais. Já o salário mínimo para os sectores dos transportes e da indústria transformadora (40.226 Kz) cobre apenas 31,6% da cesta básica. Este valor sobe ligeiramente se tivermos em linha de conta o salário mínimo para o sector do comércio e indústria extractiva, 48.278 Kz, que representa 37,9% do preço da cesta básica no mercado informal.

Os preços

Os mercados formais, por regra, praticam preços mais elevados porque a estrutura de custos é maior, pagam rendas e impostos, e estão sujeitos ao pagamento das taxas estabelecidas. Mas há ocasiões em que estes preços são tão elevados que se pode falar também de especulação comercial ou fenómenos de cartel (preços combinados entre operadores).

Por exemplo, o preço do quilo do peixe carapau na Shoprite e no Candando custa mais do dobro da Maxi. O mesmo produto custa 8.500 Kz/quilo no Candando, 7.000 Kz/quilo na Shoprite mas na Maxi o preço é reduzido para 3.990 Kz/quilo. Outro produto em que também se encontra uma diferença abismal é o leite em pó de 2,7 quilos. Nas prateleiras do Candando é comercializado por 18.739 Kz mas na Maxi, o mesmo produto e a mesma quantidade, é vendido por 14.990 Kz, enquanto na Shoprite pode-se comprar por 16.999 Kz.

REAÇÕES

0
   
1
   
0
   
0
   
1
   
0
   
1
   
1
   

Comentários