Cerca de duas mil pessoas morreram em acidentes
Um total de 1.856 pessoas morreram nas estradas do país e 8.262 outras ficaram feridas, em consequência de 7.839 acidentes de viação que ocorreram por todo país, de Janeiro a presente data.

Anúncio

Anúncio

Os dados foram apresentados, em Luanda, pelo Ministro do Interior, Eugénio César Laborinho, no final da Marcha em homenagem as vítimas de acidentes nas estradas de todo mundo, celebrado no terceiro domingo de Novembro, data consagrada pelas Nações Unidas, através da resolução da Assembleia Geral da ONU, A/60, de 25 de Outubro de 2005.

De acordo com o Ministro do Interior, Eugénio César Laborinho, a Capital do País, Luanda, tem os índices mais elevados, com 1.448, correspondendo a 18% do total de acidentes do país, que resultaram em 457 mortos e 1.275 feridos, seguido das províncias da Huíla e Huambo com 813 e 699 acidentes de viação, respectivamente.

Para o governante, os números são assustadores, sobretudo, pelo facto de se estar avizinhar a quadra festiva, período em que se regista mais acidentes, por excesso de velocidade, fruto de consumo exagerado de bebidas alcoólicas, associada a não observância do código de estrada por parte dos automobilistas.

Por este facto, o governante solicitou a conjugação de esforços para que todas forças vivas da sociedade intervenham neste "mal da estrada", que esta ceifar a vida de muitos angolanos.

"Devemos começar por reforçar as medidas de segurança rodoviária, a sensibilização aos automobilistas e peões, a fiscalização permanentemente dos veículos, sobretudo, àqueles que já não estejam em condições para a sua circulação", pontualizou o ministro, insistindo que a segurança rodoviária deve ser uma preocupação de todos.

"Estamos reunidos, mais uma vez, nesta manifestação pública em defesa da vida, do nosso bem mais precioso, pois, não devemos nos conformar com os números alarmantes de mortes resultantes de acidentes de viação nas estradas do nosso país, causando incalculável sofrimento humano e danos irreparáveis" concluiu, apelando a sociedade angolana, particularmente, aos automobilistas, a reflectirem em torno dos acidentes.

Refira-se que em Luanda, a Marcha teve como ponto de partida, o Largo do Monumento do Soldado Desconhecido e de chegada, o Largo 17 de Setembro, no Porto de Luanda.

Participaram da mesma, a Ministra da Juventude e Desporto, Ana Paula do Sacramento Neto, a Ministra do Ordenamento do Território e Habitação, Ana Paula de Carvalho, o Secretário de Estado do Interior para o Asseguramento Técnico, Salvador José Rodrigues, Secretário de Estado do Ministério da Justiça e Direitos Humanos, os 2° Comandantes Gerais da PN, Comissários-Chefes, António Pedro Candelas e António Maria Sita, distintas figuras do aparelho do Estado, entidades religiosas, associações juvenis e efectivos dos distintos órgãos do MININT.

Fonte: PNA

REAÇÕES

COMENTÁRIOS