Casamentos depois da pandemia chegam a custar mais de 80 milhões
Muitos casais adiaram o casamento, que seria realizado durante a pandemia, só por quererem realizar a festa dos seus sonhos. Mas, com os "sonhos", surgem as dívidas e alguns transformam-se em pesadelo.

O Expansão ouviu um casal que, após o casamento, recebeu ameaças de morte por não ter pago a "factura".

Depois de a pandemia da Covid-19 ter praticamente arrasado o sector dos casamentos, à semelhança do que fez com muitos outros negócios um pouco por todo mundo, nos últimos meses, os profissionais deste sector não se podem queixar da falta de clientes. Dizem já ter recuperado uma boa parte do número de clientes anterior à pandemia, com praticamente 70% dos lucros recuperados e com vários noivos em lista de espera, desejosos por realizar a festa.

Devido às restrições impostas pela pandemia, os noivos tinham apenas a possibilidade de convidar 50 pessoas entre familiares e amigos, o que fez baixar os custos com a realização de toda a cerimónia, uma vez que a maior parte do orçamento é absorvido exactamente pela festa. Quase todas as festas eram realizadas em quintais porque os salões estavam encerrados, os serviços como a decoração e a alimentação eram feitos, em alguns casos, pelos próprios familiares, sobrava apenas a preparação dos noivos, as filmagens e fotografia, que também não exigiam muito dinheiro pelo facto de os casamentos serem restritos.

Em média, nesta época, os casamentos chegavam a custar 1 a 2 milhões de Kz no caso da classe baixa, 3 a 5 milhões Kz para a classe média alta e até 10 milhões na classe alta. Com o regresso à normalidade e com as restrições levantadas, todos os serviços de casamento voltaram ao preço normal e consequentemente os preços das festas de casamento também.

Dezenas de milhões Kz

O Expansão entrevistou vários casais e algumas das principais empresas responsáveis pela organização de eventos do País. A Galeria dos Pães é uma das empresas responsáveis pela realização de praticamente todos os eventos, como casamentos e festas de aniversário da classe alta no País. Se quiser ter um casamento organizado por esta empresa, terá de desembolsar entre 9 milhões de Kz para uma festa simples até mais de 50 milhões de Kz para uma grande festa. Segundo fontes contactadas pelo Expansão a empresa realizou uma média de 15 casamentos desde o início do ano. O último casamento teve um orçamento de mais de 50 milhões Kz.

Mas é importante que se saiba que a galeria dos Pães fornece apenas a decoração e a confeitaria. que inclui todos os bolos e salgados. Para os outros serviços os nubentes terão de procurar outras empresas especialistas. Sob anonimato, o Expansão conversou com Marta, nome fictício de uma organizadora de eventos de uma outra empresa que também realiza casamentos com orçamentos altíssimos e que confessou que o último casamento que realizou no mês passado teve um orçamento de 67 milhões Kz . Só a decoração e os bolos atingiram os 40 milhões Kz.

"Podemos realizar os casamentos dos mais simples aos mais luxuosos. No mês passado realizei um casamento de quase 70 milhões Kz, em que mais de 40 milhões Kz serviu apenas para pagar a decoração e alguns doces. O buffet (comida e bebida) para 350 pessoas ficou em torno dos 17,5 milhões de Kz, repartindo 50 mil Kz por pessoa. Os serviços com as filmagens custaram 1 milhão de Kz, DJ 500 mil Kz, aliança 500 mil Kz e a roupa dos noivos que ficou em torno dos 4 milhões de Kz.", explicou.

Neste tipo de casamentos são também contratados alguns músicos para cantarem ao vivo. "Neste em particular tivemos de agendar dois músicos da nossa praça por pedido do noivo, custou 1,5 milhões Kz cada. O brinde foi muito simples ao contrário do que os outros noivos têm pedido, mas ficou à volta dos 700 mil Kz", explicou.

Vale lembrar que estes casamentos são realizados em quintas e fazendas, na maioria dos casos pertencentes aos familiares mais próximos, por esta razão os custos com o aluguer de salão não são incluídos nos gastos. Importa ainda referir que dos 4 milhões de Kz que são dedicados à preparação dos noivos, 3 milhões são gastos apenas pela noiva, com os vestidos de noiva (igreja e civil) que podem custar até 2 milhões se forem feitos por medida, penteados, sapatos, maquilhagem, acessórios, hotel para a preparação e, até gastos com as damas de companhia em alguns casos. Marta fez saber ainda que nos últimos tempos tem agendados vários casamentos com orçamentos superiores a 80 milhões Kz.

Para os casamentos de renda média e baixa os custos também aumentaram, mas não se comparam aos anteriores. Nesta classe os casamentos estão orçados entre 2 a 13 milhões de Kz. Aqui os serviços são os mesmos, mas mais baratos. Para um casal com uma renda média, a decoração normalmente é feita por uma empresa ou por um particular que trabalhe no sector, e os custos com a mesma nunca excedem os 3 milhões de Kz.

Neste tipo de casamentos os serviços mais caros além da decoração, são o aluguer de um salão de festas que ultimamente têm sido as famosas tendas que chegam a custar até 2 milhões Kz, buffet, que normalmente se aproxima dos 5 milhões de Kz, com uma base de 32.000 Kz por pessoa e pelo menos 150 convi[1]dados, o que é comum.

Nos casos dos casamentos de baixa renda, o aluguer do salão fica por 200 mil Kz, a decoração 500 mil Kz e, nestes casos, não há um serviço de buffet especializado, porque são os próprios familiares que confecionam as refeições. A música fica em torno de 100 a 150 mil Kz, 500 mil Kz para bebidas e o restante do valor é gasto na preparação dos noivos, brindes, aluguer do carro, fotógrafo e outros como explicou ao Expansão Eunice Machado organizadora do evento.

"A nossa empresa realiza casamentos desde 3 até 9 milhões Kz. Normalmente os serviços em todos os casamentos são iguais, os bolos, vestidos, decoração e outros o preço só altera dependendo da qualidade do serviço prestado e do material usado" explicou.

O peso das dívidas

Vale lembrar que nos três tipos de casamentos, na maior parte dos casos, os noivos ficam sempre com dívidas por pagar depois da festa. Em alguns casos, como fez saber um especialista do sector vários noivos chegam a contrair empréstimos para a realização da festa dos seus sonhos, e depois chegam a não ter o que comer porque têm que pagar a dívida da festa.

O Expansão ouviu um casal que depois do casamento recebeu ameaças de morte e agressão por não ter pago um dos serviços (cocktail). Um outro casal contou que ficou durante meses sem conseguir estabilizar a sua vida e com muitas dificuldades para sustentar o único filho. Só conseguiu liquidar passado quase um ano depois da realização da festa.

REAÇÕES

1
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   

Comentários