Angomart, Fresmart e Kibabo dão passo gigante na distribuição e Carrinho no empresariado


Ano que se apresta a terminar não foi mau para um grupo restrito de grupos empresariais. Na distribuição, houve quem concretizasse o projecto de expansão e quem tenha beneficiado de facilidades para saltar até para o universo das finanças. 

Num ano em que a palavra “dificuldade” continuou na agenda de muitas empresas e empresários, levando, inclusive, ao encerramento e adiamento de alguns projectos, determinadas empresas destacaram-se pelo investimento e negócios realizados.

O sector da distribuição é bem o exemplo disso. Enquanto alguns dos principais players estagnaram e/ou adiaram os projectos, como a Maxi, Shoprite, Alimenta Angola ou Candando, marcas como Angomart, Kibabo e o Grupo Carrinho aumentaram a sua quota no mercado com a inauguração de novas lojas.

O Kibabo, por exemplo, que até Setembro de 2020 tinha apenas cinco lojas, passou a ter 19 até Outubro de 2021 como cumprimento de um plano que prevê terminar este ano com 20 unidades. Neste período, inaugurou aquela que é a sua maior unidade. Construída de raiz, está localizada no Morro Bento, tem 2,5 mil metros quadrados e resultou de um investimento de 2 milhões de dólares.

“Só em 2021, o nosso investimento em supermercados deve rondar os 10 milhões de dólares. Quanto ao valor total já aplicado, não é possível contabilizar neste momento”, referiu, na altura, Pedro Mateus, CEO do Grupo.

A Angomart, pertencente ao Noble Group, de origem indiana, acompanhou a dinâmica com a inauguração da 12.ª segunda loja em Junho e a 13.ª em Outubro, com a perspectiva de abrir mais três lojas até ao fim do ano.

Por sua vez, depois de encerrar o ano com sete lojas, a marca Fresmat, do Grupo Newaco, passou a contabilizar 22 unidades com a última a ser inaugurada este mês. O plano era terminar com 25 lojas.

Apesar de não ter apostado na inauguração de grandes superfícies, o Mega Cash & Carry também teve um ano de investimentos. Investiu na rede de proximidade ‘Arreou’. No entanto, não existem dados sobre o número de lojas inauguradas este ano.

DA DISTRIBUIÇÃO À BANCA

O outro grande destaque do sector foi o Grupo Carrinho que, depois de inaugurar, em Novembro de 2019, um complexo industrial composto por 17 fábricas, se posicionou, ao longo de 2021, não apenas como um dos maiores players da indústria e distribuição, mas também do sector empresarial. Basta lembrar que é o vencedor do concurso público do processo de privatização do banco BCI, cujo resultado foi anunciado na semana passada. E esta semana foi-lhe entregue, através da sua empresa Gescesta, a gestão da Reserva Estratégica Alimentar (REA). Assim, posiciona-se também como a empresa que, a par da Omatapalo, mais beneficia das facilidades reservadas pelo Governo para o sector empresarial privado.

REFRIANGO LIDERA BEBIDAS

No sector das bebidas, a Refriango posicionou-se como a que mais investimentos e/ou negócios realizou. Além de assinar um contrato de gestão das marcas da Sodiba, produtora da Luandina, fez outras parcerias e lançou novos produtos como a cerveja artesanal Brava. Resultado de uma parceria com a Coca-Cola, passou a produzir os sumos Minute Maid e a distribuir não só em Angola mas também nos países da região. Rubricou também um acordo com a marca Pascual.

REAÇÕES

1
   
0
   
0
   
0
   
0
   
1
   
0
   
0
   

Comentários