Agostinho Neto morreu no dia que reuniria com Savimbi – Esposa suspeita a morte


Maria Eugenia Neto não acredita na morte do esposo Agostinho Neto, primeiro presidente de Angola. Revela morreu no mesmo dia que teria reunião secreta com o fundador da Unita, Jonas Savimbi.

A revelação consta na versão actualizada do livro “Memórias de Jenny: a noiva do vestido azul.” Onde a viúva de Neto levanta dúvidas da morte marido por nunca ter a possibilidade de reconfirmar.

“Quando o corpo de Agostinho Neto foi embalsamado em Moscovo eu não tive uma palavra a dizer. Ninguém me perguntou nada. Se o tivessem feito, sabiam que me opunha. (...) Quando já estávamos em Luanda disse ao Lúcio que queria as vísceras do meu marido para mandar analisá-las. Ele negou que existissem vísceras, informou-me que o corpo foi embalsamado com todos os órgãos. Procurei saber e concluí que nenhum corpo humano é embalsamado com as vísceras. Por isso, repito: tenho muitas dúvidas sobre a morte de Neto. Ele morreu a 10 de Setembro. Nesse mesmo dia estava previsto um encontro secreto com Jonas Savimbi. O Presidente Neto tinha grande esperança nessa reunião", conta a viúva.

No livro a ser lançado amanhã, provavelmente, Eugénia Neto diz esteve oposta na colocação do rosto do ex-presidente José Eduardo dos Santos. 

"Manifestei o meu desacordo por fazerem uma emissão de notas com a efígie de Agostinho Neto e do Presidente José Eduardo dos Santos ao lado. Porque quando foi feita a emissão, Neto tinha construído tudo e criado o Kwanza, José Eduardo ainda não tinha feito nada. Achei que aquela emissão de notas foi um triste exemplo da bajulação dos dirigentes do Estado e do partido ao líder de turno", diz.

REAÇÕES

4
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
5
   
0
   

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK