Adalberto Costa Júnior defende retirada da cerca sanitária de Luanda


O presidente da Unita Adalberto Costa Júnior é de opinião que se deve abrir a capital do país apesar de existir transmissão comunitária e previsão de 45 mil casos positivos até Setembro.

Para o líder do maior partido na oposição é imperioso levantar a cerca sanitária imposta na província de Luanda devido à covid-19 porque, sustenta, está “acelerar a falência de muitas empresas”. Porquanto o resto do país depende da capital, ou seja, Luanda é o centro da vida económica de Angola. 

Adalberto falava à margem da comemoração da data natalícia do fundador do partido, Savimbe, realizada ontem, segunda-feira, no Bié. Fez saber na ocasião, é contactado por empresários que dizem estar sufocados com a cerca sanitária imposta na capital. 

Luanda está isolada das outras 17 províncias por via terrestre e área por registar infecção comunitária, porém, são permitidas a saída e entrada de produtos essenciais. Segundo previsão do MINSA, até Setembro poderá se registar 45 mil casos positivos em todo o país. Nesta altura regista-se um total de mil e 280 casos positivos, dos quais 746 estão activos, 476 recuperados e 58 perderam a vida.

REAÇÕES

5
   
0
   
2
   
0
   
2
   
8
   
1
   
0
   

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK