1° de Agosto declara falência este mês


Sem dinheiro sócios decidem sobre o futuro do clube das Forças Armadas Angolanas. Tudo indica que decretarão falência.

"O 1.º de Agosto está quase em falência técnica" devido ao corte significativo da verba que recebia do Estado, lamentou um membro dos órgãos sociais do clube militar; apontando, de seguida, que, de um tempo para cá, as despesas do emblema titulado pelo Ministério da Defesa Nacional e dos Veteranos da Pátria (MINDENVP) têm estado acima das receitas.

A solução para o vasto dilema financeiro que o Clube Desportivo 1.º de Agosto atravessa, segundo o interlocutor, deverá ser encontrada na aguardada assembleia-geral ordinária, cuja realização, segundo a fonte, foi marcada para a segunda quinzena do mês que agora arrancou.

Entretanto, uma outra fonte explica que há um "porém" quanto à realização da assembleia-geral ordinária marcada para depois do dia 15 de Abril, mencionando que o importante evento pode ser condicionado pelo "pente fino" que está a ser feito às contas do clube de 2021. "A não-conclusão da auditoria externa que está a ser feita ao relatório e contas de 2021 pode forçar ao adiamento da assembleia geral ordinária", garantiu o interlocutor.

A assembleia-geral do "pri" tem, entre outras, competências de eleger os membros dos órgãos sociais do clube, apreciar e votar o orçamento anual, contas e relatórios de actividades financeiras, atesta o Estatuto do 1.º de Agosto.

De acordo com o número um do artigo 24 do Estatuto do Clube Desportivo 1.º de Agosto, publicado no Diário da República do dia 08 de Outubro de 2014, e consultado pelo Novo Jornal, o núcleo duro do emblema militar deve reunir-se ordinariamente duas vezes "por ano para apreciar e deliberar sobre o orçamento e plano de actividade do ano seguinte, bem como para apreciar e votar as contas e o relatório de actividades do ano transacto, nos termos estabelecidos no regulamento geral do clube".

NJ

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
2
   
1
   
0
   
0
   

Comentários