Estado angolano reage à eleição de Donald Trump


O Presidente da República de Angola já felicitou DonaldTrump pela eleição para a presidência dos Estados Unidos da América, endereçando-lhe votos de êxitos no cumprimento do seu mandato, que pede que seja moldado por um maior "diálogo" internacional e, em relação a Angola, que permita um relacionamento mais estreito baseado numa "cooperação mutuamente vantajosa".

Segundo nota emitida pela Casa Civil do Presidente da República, José Eduardo dos Santos desejou que Donald Trump traduza o seu mandato, que começa, com a tomada de posse a 20 de Janeiro próximo, em "prosperidade e felicidade para o povo americano e impulsione um período de maior diálogo e cooperação internacional que seja capaz de viabilizar a resolução dos problemas mais candentes da actualidade e propiciar mais paz e segurança para todo o mundo".

Na mesma nota, o Presidente angolano informa que manifestou a Trump o desejo de "estreitar as relações de amizade e cooperação mutuamente vantajosas entre Angola e os Estados Unidos da América".

O partido do “Galo do Negro” felicitou também a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, sublinhando a questão da alternância no poder que pode servir de exemplo para Angola.

A posição foi hoje expressa pelo secretário para as Relações Exteriores da UNITA, o deputado Alcides Sakala, que considerou importante para Angola esse processo eleitoral norte-americano, numa altura em que o país se prepara para realizar eleições gerais, previstas para 2017.

"Desta vitória podem-se tirar-se lições importantes para Angola, como a importância do papel das instituições democráticas e da alternância do poder como fator de estabilidade", disse Alcides Sakala,citado pela Lusa.

No seu discurso da vitória, o republicano foi bastante pacífico e disse: "Serei presidente de todos os americanos. Não irei vos iludir. O nosso trabalho está agora a começar", tendo prometido que haverá mais empregos e apoio aos veteranos de guerra.

Acrescendo que "Chegou o momento de os Estados Unidos fecharem as feridas da divisão, devemos nos unir aos republicanos, democratas e independentes desta nação afirmo que é hora de união", disse Trump. E lembrando ainda que, Donald Trump será o 45º presidente dos Estados Unidos.

Redação/Novo Jornal

REAÇÕES

10
   
2
   
0
   
0
   
10
   
8
   
4
   
0
   

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK