Paixão pela patinagem faz jovens arriscar a vida nas ruas de Viana
A paixão pela patinagem faz com que muitos jovens do município de Viana, e não só, arrisquem suas vidas, por falta de sítios indicados para a prática. Com idades compreendidas entre os 14 e os 30 e pouco anos, jovens de ambos os sexos, entregam-se pela paixão das rodas e manobras radicais.

Saem de várias partes de Viana, com o destino o largo da Administração Municipal, onde encontram o espaço “cómodo” para patinar. Embora que muitos ainda preferem usar as ruas principais, ignorando assim, os perigos encontrados na via pública.

Em entrevista ao nosso portal, ouvimos muitas histórias divertidas e outras nem tanto, como a do jovem, que no ano passado, embateu contra uma viatura, na tentativa de ganhar mais velocidade.  

“Sim, foi mesmo assustador. Ele pendurou-se num carro e de repente este travou, o jovem perdeu o controlo e foi embater contra outro carro, e foi atropelado”, explicou Rafael Banga, patinador há mais de 3 anos. 

Rafael Banga, é trabalhador de uma empresa privada e, membro do grupo “Street Runner”, grupo composto por vários patinadores do município de Viana. Rafael, conta que, além de ser uma forma de diversão, patinar, serve também para passar o tempo e evitar que muitos dos seus amigos, engrenem em maus caminhos. Confessa ainda que, sempre teve paixão por desportos radicais, mas como o país não proporciona condições para a prática, partiu para a patinagem, como forma de concretização do sonho.

 "As pessoas não têm ideia de como isso é diversão agradável. Andar de patim alivia o estreasse e faz bem à saúde”, afirmou. 

"Se tivéssemos um espaço adequado para a prática, tiraríamos muitos patinadores das ruas e evitaríamos muitas tragédias”, concluiu. 

Tal como, Banga, Paulo Teixeira, de 18 anos, revelou que o melhor presente que recebeu do mãe, foram os seus patins. A praticar já há seis meses, diz ser uma maravilha e confessa estar viciado. Questionado se esta rotina não atrapalha os estudos, este afirma que sabe conciliar. “Vivo no bairro Caop e saio de casa às 18 horas, já sob rodas, regresso às 22 horas para descansar.”

 O mesmo estuda no período da manhã, o que lhe permite revisar a matéria antes de sair de casa. “É uma rotina quase diária, já não me sinto bem sem isso”, admite.  

Ainda há muitos que pensam que os patins são apenas para diversão de adolescentes e jovens, mas, na realidade, é um grande aliado para quem quer manter uma boa saúde e ter uma vida equilibrada. Por isso, os jovens apelam ao Executivo e aos empresários em geral, no sentido de criarem espaços adequado para prática da patinagem, que de certa forma poderá contribuir para massificação do desporto e redução da criminalidade e uso de drogas, por parte dos jovens.

REAÇÕES

COMENTÁRIOS