Estudantes universitários criam projecto que poderá acabar com o analfabetismo em Angola
ABC alfabetizar é o nome do projecto criado por um grupo de estudantes universitários do 4º ano do curso de Direito da Universidade Independente de Angola, cujo objectivo é ensinar a ler e a escrever as vendedoras dos mercados espalhados pelo país e não só, que por várias razões não tiveram a oportunidade de frequentar a escola.

O mentor do projecto é o estudante Arlindo Dala, que juntamente com mais 10 colegas, todos da turma A1 da universidade Independente, materializaram a ideia e mobilizaram os demais estudantes e a direcção da respectiva Instituição, que abraçaram o projecto contribuindo com valores monetários para compra de quadro, cadernos, caixas de gigi e lápis. 

Numa primeira fase o projecto está somente no mercado do Matadouro, próximo da referida universidade, ao Morro Bento, em Luanda, conta com mais de 35 alunas maioritariamente vendedoras do mercado, e 10 professores que leccionam de forma intercalada aos sábados das 10 às 12 horas.

Em apenas 4 meses de aulas várias alunas já leem, soletram e escrevem o seu nome e dos familiares, pelo que Arlindo Dala, faz um balanço positivo do projecto. ‘’O saldo é bastante positivo porque as mamãs estão muito motivadas e empenhadas, a prova disso são os resultados satisfatórios.’’

Há 3 meses a frequentar as aulas dona Maria Miguel, já soletra e escreve o seu nome e dos filhos, pelo que considera ‘’uma bênção. ’’Maria Miguel destaca as qualidades e paciência dos professores como essenciais para o seu aprendizado, bem como apela as pessoas que não sabem ler nem escrever à ingressarem ao projecto.   

‘’Papas e mamãs que não sabem ler nem escrever, antes dizíamos que não temos dinheiro para ir à escola, mas agora aqui no mercado do Matadouro há escola gratuita venham aprender a ler e a escrever não tenham vergonha porque a vergonha mata.’’ Palavras de Maria Miguel.

Participando nas aulas pela sétima vez consecutiva, a senhora Joana Jacinto, contou ao nosso portal que, mostrou interesse em frequentar as aulas por sentir vontade de aprender a ler e a escrever para que possa acompanhar a evolução do mundo e ajudar os filhos nas tarefas escolares. A mesma agradeceu a iniciativa dos mentores do projecto.

O projecto tem enfrentado dificuldades de diversas ordens, como é o caso de materiais didácticos e falta de professores qualificados para abertura de novas salas de aulas nos mercados espalhados pelo país, no entanto, os membros já bateram várias portas mas nem todas abriram-se, há 5 meses que escreveram ao ministério da Educação solicitando apoios mas este até ao momento não respondeu.

‘’Para que esta acção possa ser exequível é necessária que tenha apoio do Estado angolano. Nós precisamos ter uma parceria com o ministério da Educação no sentido de dar-nos apoios com professores qualificados para que possamos transmitir um ensino de qualidade e de eficiência,’’ disse Arlindo Dala.

Fruto dos constantes apelos que os membros do projecto têm feito, no passado dia 13 do mês corrente, o empresário Osvaldo Pinto Matamba, visitou o mercado e fez entrega de diversos donativos bem como juntou-se ao grupo tornando-se o padrinho do projecto.

Quanto ao índice de analfabetismo no país, Arlindo Dala, considera que os números ainda são tão elevados, e afirma que ‘’está fora do controlo do governo, e o governo não pode caminhar sozinho. ’’ Por isso recorre ao exemplo de Cuba para terminar com o analfabetismo em Angola, ‘’em 1961 em Cuba Fidel Castro mandou fechar as escolas e os alunos da 6ª e 3ª séries tiveram que alfabetizar aqueles que não sabiam ler nem escrever. 

Em Angola também este processo pode ser possível, juntando os estudantes de todas universidades quer pública ou privada, nos engajarmos neste processo de alfabetização a nível dos mercados e das comunidades, e só será possível com o contributo dos estudantes.’’ 

O projecto ABC Alfabetizar é grátis e fornece materiais didácticos aos alunos, surgiu a 17 de Junho do corrente ano, a primeira fase do projecto vai encerrar em Novembro próximo, e será realizada uma  cerimónia de entrega de certificados as primeiras alunas, a mesma terá lugar na Universidade Independente de Angola.

Para os visitantes do nosso portal que queiram apoiar o projecto, podem ligar ao terminal 943 73 97 62 e falar com Arlindo Dala, mentor do projecto.

Texto de Guilherme André

REAÇÕES

COMENTÁRIOS