Dia Internacional da Mulher: Nós não somos culpadas pelas limitações
"Nós não somos culpadas pelas limitações que a sociedade nos impõe, mas somos culpadas pelas limitações que aceitamos da sociedade", Natália Timoteo Damião

Sei que nunca vou entender, mesmo assim vou continuar a questionar: Porquê?

Até hoje sei que todos, todos mesmo nascem com cabeça, tronco e membros. Todos nascem por duas vias inquestionáveis, parto normal ou cesariana. Todos têm apenas uma vida, a ninguém é dado um bis. Mesmo assim, não se apercebem que a diferença é apenas um mero detalhe, que ainda por cima fica guardado.

Mulheres, tenha a certeza que a tua mãe quando te pariu, sentiu bastante dor. Saiba que és uma pessoa completa, um projecto acabado, Único. 

O foco da tua vida, depende do que você quer, ninguém pode definir isto por ti.

O foco da tua vida, depende do que você quer, ninguém pode definir isto por ti. Isidro Fortunato

Não se esqueça de aprender, sim, de aprender a aprender. Quando não for mais possível, quando quiser desistir, seja chata, e não permita.

Viva primeiro para ti, como diz a Makaya, seja a mulher da tua vida. Podes sim, fazer o que você quiser, só pense bem e faça, já cantou a Miss Skills lugar de mulher é onde ela quiser. 

Temos tanta força para suportar a vida de todos, as reclamações e vida dos maridos, as birras, mimos e necessidades das crianças, a chatice dos irmãos, as faltas da doméstica, as necessidades do lar, ter que saber onde tudo está, o que cada um precisa, epah, é preciso ser super herói para não surtar.

Nunca houve nem vai haver campeonato da melhor dona de casa, a esposa top, a mãe do ano. Não desista, mas não faça para os outros, antes de fazeres para ti. 

A quanto tempo você não sai sozinha, com as amigas, a quanto tempo não vás ao cinema, não vês um bom programa na TV, não lês um bom livro? A quanto tempo não fazes algo por ti?

Sinceramente, tenho pena de nós, mas não desisto. Porque descobri que não sou culpada, e você também não é. A vida acontece com ou sem você. Experimenta passar uma tarde fora de casa, tudo vai acontecer na mesma.

Controle a natalidade e gaste mais tempo aprendendo. Adquirindo conhecimento, cuida da tua vida. A vida é tua, não do teu marido, não da sociedade, não dos teus filhos.

"Nós não somos culpadas pelas limitações que a sociedade nos impõe, mas somos culpadas pelas limitações que aceitamos da sociedade".

REAÇÕES

COMENTÁRIOS