Telefonar em Angola tornou-se mais caro, subiu hoje em todo país a tarifa do saldo, o cartão de recarga de 120 utt’s que antes custava 900 kz agora passou a ser comercializado a 1.250 kz, já o saldo electrónico de 50 utt’s que anteriormente custava 400 kz passou a ser comercializado 550 kz.

A alteração não foi recebida de bom grado pelos cidadãos que defendem o aumento salarial visto que tal medida vem piorar o custo de vida da classe baixa, como disse ao nosso portal o cidadão Ngola Kassule, ‘’o nosso salário já é uma miséria e só chega para garantir o pão em casa, o aumento do preço do saldo veio contribuir no sofrimento de nós pobres.’’ 

Uma opinião reforçada pela cidadã Margarida Sassungo, ‘’tudo neste país sobe menos o salário, como não somos ouvidos até não adianta reclamar, vamos só já aguentar e morrer todos pobres,’’ desabafou.

Com a subida da tarifa do saldo muitos cidadãos revelaram ao nosso portal que vão vender os seus telemóveis por não terem condições de sustenta-los, por isso vão recorrer aos métodos antigos de comunicação, enviando cartas. ‘’O meu salário nem chega para pagar as despesas de casa, este aumento só vem dificultar mais a vida de nós desgraçados, a única solução que tenho é guardar o telemóvel na mala ou vender, e conversar com os familiares e amigos por meio de cartas,’’ fez saber Tiago Serafim.

A opinião é partilhada por Basto Kassoma, que de agora em diante garantiu que irá visitar constantemente os Correios de Angola para envio de cartas. 

De acordo com Diógenes de Oliveira, da Associação de Defesa dos Consumidores, esta medida foi tomada sem o parecer da organização que vela pelo direito dos consumidores e acredita que a mesma vai afectar de forma devastadora os cidadãos.

‘’A ADIC não foi chamada para esta discussão, mesmo sabendo que por força do artigo 32 alínea R da lei 15/03 e através do decreto presidencial número 134/15, a DIC, devia fazer parte na discussão da subida do tarifário das telecomunicações e isto não foi verificado. Para dizer que esta subida de certa forma só deverá dificultar a vida de todos os consumidores, estamos a falar dos consumidores estudantes que muitas das vezes utilizam as telecomunicações para consulta de estudo, os técnicos de saúde que fazem o uso da mesma forma, da classe jornalística, de todos nós, no mundo que vivemos é impossível viver sem telecomunicações.’’

Por esta razão a referida organização endereçou uma carta ao Presidente da Republica para que se possa alterar a medida, confirmou o responsável ‘’se a ADIC tivesse feito parte na discussão da subida dos tarifários, haveríamos de propor uma subida de 50 ou 100 kz no máximo, mas também nós ADIC endereçamos uma carta ao Titular do Poder Executivo a propor a remissão desta medida com base na protecção económica dos consumidores, visto que o salário continua estagnado’’ disse Diógenes de Oliveira.

No fim da tarde de hoje, o AO conversou com os vendedores de saldo na via pública, os mesmos fizeram saber que hoje as vendas baixaram consideravelmente comparando com os dias anteriores, em que chegavam de vender 30 a 40 cartões de saldo por dia, quanto ao número de cartões de saldo vendidos hoje dez (10) dos nossos entrevistados revelaram que venderam menos de 15 cartões. Já nos dois (2) estabelecimentos em que passamos os funcionários revelaram que hoje nem 5 cartões de saldo venderam, e apenas num dos estabelecimentos fez-se 3 recargas electrónicas.

Qual é a sua opinião?

Qual é a sua opinião?

REAÇÕES

0
0
0
0
2
2
0
0

COMENTÁRIOS