A Indústria nascente do Entretenimento e Showbusiness a sério em Angola, do Petróleo não viveremos para sempre!
Alguns anos atrás quando se falava em espectáculos de grande dimensão em Angola, a referência nacional e até internacional era sem dúvida alguma a CASABLANCA do emblemático Riquinho. Com o tempo LS Republicano e STEP já se destacavam no mercado, sendo que esta última sempre se destacou (até agora) na organização de eventos de moda.

Com o passar do tempo surgiu a Semba Comunicação em 2006, que geriu o canal 2 da Televisão Pública de Angola de 2007 até o ano de 2017, revolucionou o mercado do entretenimento televisivo em Angola, durante todo esse tempo seus produtos foram nomeados e até ganharam vários prémios internacionais se não vejamos;

  • 2013 - International Emmy Nominee for Best Telenovela – Windeck; 
  • 2014 - Platinum Award no International Movie Awards(Indonesia); 
  • 2014 - Prémio Camélia da Liberdade (Brasil) – Telenovela Windeck;
  • 2014- International Film Competition Silver Award for Cinematography (Indonesia) - Njinga : Rainha de Angola; 
  • 2014 - CinePort Festival - Best Photography Award for “I Love Kuduro (Brazil);
  • 2015 INquieTUdo Festival Audience Award for “I Love Kuduro (Austria);
  • 2015 African Movie Academy Awards for Best Make Up & Best Actress - Njinga : Rainha de Angola;
  • 2015 International Emmy Nominee for Best Telenovela – Jikulumessu;
  • 2015 Seoul Drama Award Best Serial Drama Golden Bird Prize – Jikulumessu;
  • 2016 London Fashion Film Festival - Best Documentary Nominee for “Bangaologia : The Science of Style”;
  • 2016 Warsaw Film Festival – Best Documentary Nominee for “Bangaologia : The Science of Style”;
  • 2017 IndieFest Film Awards – Award of Merit Special Mention for “Bangaologia : The Science of Style”;
  • FESPACO – Best Series Nominee for “Jikulumessu”;

A Semba Comunicação não só mudou a maneira de ver televisão em Angola, dinamizando o sector da teledramaturgia, mas também gerou muitos empregos indirectos ou pequenos empregos aos jovens que participavam nas gravações das telenovelas como figurantes, ganhando quatro mil kwzs por cada gravação, dinheiro que se acumulava até ao fim do mês (se passasse 22 dias úteis gravando) a oitenta e oito mil kwzs.

Com a saída de cena da Semba Comunicação devido a rescisão do contrato de 17milhões USD que tinha com o ministério da Comunicação Social, fortaleceu-se a ZAP. No mercado desde 2010, é uma operadora de distribuição de televisão por satélite e de internet (ZAP Fibra), é sem dúvida alguma líder na disponibilização de conteúdos televisivos, e tem investido forte na produção de conteúdos locais com os seus programas de entretenimento. 

A ZAP é também futebol. Tem um contrato com a FAF – Federação Angolana de Futebol, de duração de três anos, (celebrado em 2016) a ZAP passou a transmitir de forma exclusiva os jogos do Girabola fazendo com que a Televisão Pública de Angola – TPA, transmita apenas um jogo por cada jornada (Fruto de um pré-acordo entre a ZAP e a TPA). 

O valor do contrato entre a FAF e a ZAP que fez a primeira divisão do campeonato nacional de futebol ganhar um novo nome: “Girabola ZAP”.

Não foi tornado público!

Em sede de reconhecimento internacional, um dos seus canais “ZAP VIVA” venceu nos Eutelsat TV Awards 2016 na categoria de melhor canal de Ficção/ Entretenimento. A bem pouco tempo, no recente criado “Globo de Ouro Angola” (Pela STEP, PLATINA LINE e KJ) o programa Zap News, arrecadou o prêmio de “Melhor Programa de Entretenimento” do ano de 2017. 

Faz presença também nas bilheteiras com a ZAP Cinemas as grandes estreias mundiais em 7 Salas de Cinemas com mais de 1500 lugares, o investimento conta a 1ª Sala de IMAX em Angola, com a maior tela de 300m2.

De todo este investimento do grupo ZAP associam-se as grandes parcerias, e uma delas é sem dúvida a existente entre a ZAP e a UNITEL.

A UNITEL S.A. é uma empresa em Angola prestadora de serviços na área de telecomunicações móveis, foi a primeira a operar com a tecnologia GSM em Angola, constitui-se em 1998, mas foi em 2001 que entrou para o mercado. É vencedora do grande prémio da Filda: Melhor Participação na FILDA 2018 (Feira Internacional de Luanda).

A UNITEL lançou-se organização de espectáculos já a bastante tempo e tem já alguns eventos realizados anualmente tais como o “ Show Unitel Boas Festas” e o “Unitel Festa Da Música”.

Actualmente a UNITEL explorou o “Estrelas ao Palco”, um dos maiores concursos musicais a nível nacional realizado pela primeira vez em 2000, regressou em Março de 2018 como “Unitel Estrelas Ao Palco”, junto com a ZAP, a operadora percorreu o território nacional e terminou o concurso no dia 28 de Julho em Luanda no Centro de Conferencias de Belas com auditório cheio (1.000 lugares) e com bilhetes de entrada no valor de Oito mil kwzs.

Todo este investimento é feito em milhões, biliões ou se calhar triliões. Já alguém parou para pensar o quanto de retorno há com as turnês organizadas pela LS Republicano? O quanto de retorno têm os organizadores de eventos de elite como SPET?

A organização de eventos sempre foi um dos negócios interessantes para os angolanos, porém a organização de grandes eventos não é uma área de fácil equilíbrio para todos, a muito que a Casa Blanca sempre se destacou com os grandes espectáculos realizados trazendo cantores internacionais para actuarem em Angola, agora a mesma se limita apenas em organizar festas de passagem de ano (REVELLION), altura em que disputa com outras festas já estáveis no mercado como as de passagem de ano organizadas por Aurora Lopes.

A indústria televisiva e de produção de espectáculos já deu indícios de que pode gerar lucros e oportunidades em Angola, nesta fase em que o petróleo ficou para a história o grande desafio é reactivar ou se calhar dar vida a sectores com altos indícios de germinação económica.

Numa altura de grandes mudanças, caem por terra as chamadas “parceiras obrigatórias” exigidas pela antiga lei do investimento privado, a lei exigia que para o investidor estrangeiro actuar em determinados sectores (incluindo o da comunicação social) devesse firmar parcerias com cidadãos ou empresas angolanas, com objectivo de criar uma quadro mais atractivo a nova lei estabelece as parcerias obrigatórias, espera-se com que se consiga atrair um número considerável de investidores.

Espera-se também que players do entretenimento e organização de espectáculos como Semba Comunicação e Casa Blanca ressurgem de forma ordinária fortes e ao mesmo tempo a necessidade de se revitalizar outros já existentes como é o caso da TPA que apesar de estar mais voltada a prestação de serviço público pode sempre lucrar com a indústria do entretenimento e teledramaturgia e a TV Zimbo do Grupo Media Nova.

O Showbusiness é sem dúvida alguma uma área bruta a se explorar em Angola, até lá, os milhões, biliões ou triliões de retorno de todos esses investimentos ficam por se imaginar...

Opinião deImisi Simão Alexandre de Almeida

REAÇÕES

COMENTÁRIOS