«A Estrela que rilha as frustrações»
Uma janela se abre para os jovens, muitas vezes catalogados como os maus da fita, especialmente para os que têm no sangue a arte de tocar no fundo do coração, fazer dançar em simultâneo o interior e exterior, por meio do casamento perfeito entre a poesia e ritmo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade

Estar ao sábado a noite ligado à Zap Viva, embora não seja especialista em assistir TV, tornava-se “moda”, desde as transmissões dos castings à final, o Estrelas ao Palco foi autêntico “demolidor” no que diz respeito a audiência. E não só, embora inicialmente criticado por cépticos ao jurado, a marca da LAC, agora sob cuidados da Unitel e Zap, juntou e promoveu o diálogo no seio familiar (nos últimos tempos cada vez mais desavinda).

Confesso, fiquei preso, felicíssimo observar jovens a dar cartas, a nossa força caracterizadora, cada vez mais concentrada na exploração das habilidades e procura por uma porta aberta. Certamente, a edição que no sábado terminou, não foi apenas mero concurso para atingir a ponta da agulha do sucesso, também motivo de superação para quem ouviu atentamente a história dos candidatos.

Particularmente da Rosa Mapunda (a princípio descriminada), Afonso Cambongo, Anderson Mário, António Máquina... Pois, deram luz a muitos. Ontem fiquei feliz ouvir amigos manifestando a vontade em concorrer o ano próximo, após acompanhar as histórias de luta.

Por outro lado, o Estrelas ao Palco deixou patente a diversificação musical de diferentes gerações do nosso acervo musical e não só. Prova duma juventude que cada vez mais se importa com o “feito antes”.

Felicitações a Zap e Unitel (há muito tem implementado bons projectos sociais, exemplo o concurso de aplicativos) pela excelente organização, foi, até agora, o melhor espectáculo visto em directo na TV angolana.

É necessário que mais portas, isso noutros ramos, abram para continuarmos a fazer estrelas brilhar no palco da Vida, para rilhar as frustrações na sociedade angolana.

#MAKANGOLANDO

Texto de EMEKIA_GAF | Fotografia de ‭Widralino, tel.: 914 782 257‬

REAÇÕES

COMENTÁRIOS