Venda de manga é nova fonte de subsistência de muitas famílias luandenses
A venda de manga tornou-se o ganha pão de muitas famílias luandenses, nas paragens de táxi, via pública ou até mesmo no interior do táxi, a manga é comercializada a preço acessível a todos bolsos.

Senhoras de idade, crianças e jovens encontram neste negócio a sua subsistência, exemplo disso é a dona Luísa que todos santos dias acorda as 5 horas para comprar manga e posteriormente revender.

"Vou juntamente com o meu filho de 15 anos comprar manga nas quintas do Kikuxi, apesar da corrida dos fiscais mesmo assim vendemos ao pé da estrada. No fim do dia conseguimos alguma coisa para comprar o jantar."

Quem também abraçou a venda de mangas para manter o fogão de casa aceso, é a dona Angelina Kitondo, "o meu marido é desempregado para não passarmos à fome, tive de emprestar 2 mil KZ numa vizinha para se remediar com este pequeno negócio, só para levar pão as crianças."

Não são apenas os adultos que viram este negócio como seu sustento, as crianças também, como é o caso do pequeno Adriano Kapitango, de 11 anos de idade, órfão de pais, é vendedor de mangas na via expresso, o pequeno contou ao nosso portal, que as mangas que vende recolhe das quintas perto da sua residência, o dinheiro que consegue dá à sua avó para comprar comida.

Muitos dos vendedores adquirem a manga na zona do Kikuxi, Calunbo, Funda e Km 44, consideras como as maiores zonas produtoras de manga em Luanda.

REAÇÕES

COMENTÁRIOS