UNITA mostra cartão amarelo ao PR durante discurso
O partido da oposição, UNITA,mostrou ontem, vários cartões amarelos ao presidente João Lourenço, durante discurso sobre o estado da nação, como sinal de protestos a cerca a liberdade de expressão, numa altura em que a polícia travou jovens manifestantes e garantiu que no próximo discurso, vai levar cartão vermelho.

Durante a intervenção do Chefe de Estado, enquanto o grupo parlamentar do MPLA batia efusivas palmas, na oposição, nomeadamente da UNITA, ouviam-se alguns protestos, aos quais, João Lourenço foi dizendo que em breve teriam o discurso na íntegra impresso e na sua posse para poderem analisar com tempo. No final da sua intervenção, João Lourenço deixou um recado a propósito: "O apressado come cru!".

A UNITA lamentou também a atitude da Polícia Nacional e dos efectivos da Unidade de Guarda Presidencial (UGP) que travaram a manifestação de alguns jovens que queriam protestar defronte ao edifício da Assembleia Nacional, onde o Presidente da República, João Lourenço, fez o discurso do estado da Nação no arranque da 3ª sessão legislativa da 4ª Legislatura.

"Como é que o Presidente da República fala em liberdade de expressão enquanto a Polícia Nacional e outras forças da ordem travam os jovens que queriam fazer uma manifestação pacífica?", Interrogou-se o deputado da UNITA David Mendes.

Cerca de duas dezenas de jovens que tentaram concentrar-se nas imediações da Ponte do Zamba-2, em Luanda, com objectivo de se dirigirem para as proximidades da Assembleia Nacional, foram travados pela polícia, tendo mesmo ocorrido algumas detenções temporárias.

"Violar o direito à manifestação é um retrocesso à democracia", lamentou David Mendes, frisando que o seu partido exibiu um "cartão amarelo" ao Presidente da República para lhe dizer que no próximo discurso poderá levar o vermelho. 

O líder do grupo parlamentar da CASA-CE, Alexandre André, observou que, o presidente não falou sobre autarquias locais, a excepção foi do presidente da Assembleia Nacional. Isso avoluma as especulações que aí circulam de que no próximo ano não haverá eleições autárquicas, que as eleições autárquicas vão ser adiadas. 

Fonte: Angola 24 Horas

REAÇÕES

COMENTÁRIOS