Tribunal de Luanda condena mecânico a 27 anos
O Tribunal Municipal de Viana em Luanda, condenou o cidadão conhecido por Tchimbandi Ngoi de 33 anos de idade, mecânico de profissão, a 27 anos de prisão, por assassinato de duas enfermeiras, supostamente autoras do aborto da esposa no Zango.

A equipa de juízes da 17ª Secção de Crimes Comuns, do Tribunal Provincial de Luanda, remeteu os autos à Câmara de Crimes Comuns do Tribunal Supremo para serem analisados, com a possibilidade de manter, reduzir ou aumentar a sanção aplicada na sede daquele órgão judicial.

O crime de que foi condenado, tem a ver com o facto de, na altura, Tchimbandi Ngoi suspeitar que a esposa, Irene Kavunge, tivesse perdido o bebé, alegadamente por um aborto feito pelas duas enfermeiras, mas o Tribunal concluiu que a acção foi provocada pelas agressões que a mulher terá sofrido do esposo.

As duas enfermeiras deslocaram-se até a casa do casal, arrendada no Zango 4, para ajudar a suposta paciente, depois de terem sido contactadas pelo esposo por telefone. 

Tchimbandi Ngoi vai pagar uma indemnização às famílias das duas vítimas, no valor de dois milhões de kwanzas, repartidos em igual valor de um milhão de kwanzas e uma Taxa de Justiça, avaliada em 150 mil kwanzas.

Além do crime de duplo homicídio voluntário qualificado, o réu foi ainda acusado de ocultação de cadáveres, já que depois do assassinato, enterrou os corpos no quintal da sua residência durante 30 dias, bem como danos materiais, concorridos com roubo da viatura de uma das vítimas.   

Fonte: Jornal de Angola

REAÇÕES

COMENTÁRIOS