Teixeira Cândido: No dia que o jornalista revelar a fonte, deixa ser jornalista
A afirmação do secretário-geral do Sindicato dos Jornalistas de Angola, Teixeira Cândido, que falava sobre o Segredo de Justiça e a Liberdade de Imprensa, no debate realizado pela Associação dos Juízes de Angola.

Ao intervir na palestra que teve lugar na sala de conferências do Palácio da Justiça, subordinada ao tema: "Segredo de Justiça e a Liberdade de Imprensa", Teixeira Cândido, secretário-geral do Sindicato dos Jornalistas, admitiu que não revelar a fonte não estará apenas a proteger a dignidade da própria profissão, como também estará a proteger a outra pessoa, neste caso a fonte. 

E sobre a forma como os jornalistas têm abordado os agressores nos locais do crime, que segundo a Luzia Bebiana de Almeida Sebastião, directora do Instituto Nacional do Estudos Judiciais, defende não ser correcta esta prática, sob pena de influenciar no processo penal, as convicções do acusado.

De acordo com o Teixeira Cândido, faz parte da deontologia profissional, enquanto jornalista, a importância de ouvir a outra parte, no caso o acusado, sendo o grande objectivo do jornalismo a informação.

Segundo Luzia Sebastião, quando a Polícia Nacional já esta presente, nenhum jornalista deve fazer qualquer pergunta ao acusado, porque tecnicamente, o acusado goza o princípio de presunção de inocência.

REAÇÕES

COMENTÁRIOS