Sonair deixa de operar a partir de hoje
Os aviões da Sonair, deixaram de operar a partir de hoje, em algumas cidades do país, nomeadamente Catumbela, Cabinda e Lubango.

Anúncio

Anúncio

Segundo uma fonte desta operadora aeronáutica, ao contrario da decisão inicial da cessassão das três frotas de aviões (BeechCrafts 1900-D, Twin Otter e Boeing), vão-se manter os aparelhos Beech, devido aos compromissos com a “Operação Transparência” e com as petrolíferas.

Do mesmo modo, avançou, estes mesmos aviões deverão continuar a assegurar as viagens para Cabinda, com seis ligações, até novas decisões políticas, visto que a TAAG – Linhas Aéreas de Angola não tem capacidade para atender a demanda para este destino.  

Para o efeito, catorze equipas de vôos (tripulações), deverão garantir as operações, para além da data prevista para a sua cessassão (30 de Novembro), uma medida concertada durante uma reunião entre a Administração da companhia e técnicos aeronáuticos.

“Nós os técnicos aeronáuticos fomos informados pela nossa Direcção que iremos permanecer catorze equipas de tripulação, dos quais 14 comandantes e 14 co-pilotos, bem como cinco aeronaves do tipo Beech Crafts 1900- D”, confidenciou o quadro sénior da filial da Sonangol.

A decisão do encerramento dos voos consta do programa de reestruturação da Sonangol, que integra o calendário de privatizações do executivo, para até 2021, abarcando um mínimo de 200 empresas de vários sectores, incluindo a TAAG, uma das concorrentes neste segmento.

A mesma   faz parte do universo das “Empresas Sonangol - Sociedade Nacional de Combustíveis de Angolas”, e tem uma frota de dois Boing 737-700, em negociações com a companhia nacional de bandeira, e 13 aviões modelo BeechCraft 1900-D, além dos Twin Otter, em desuso.

Fonte: Angop

REAÇÕES

COMENTÁRIOS