Rui Ferreira acusa general Miala de perseguição
O Juiz Presidente do Tribunal Supremo e do Conselho Superior da Magistratura Judicial, Rui Constantino da Cruz Ferreira acusa o general Fernando Garcia Miala, actual chefe do Serviço de Inteligência e Segurança do Estado (SINSE) de estar por detrás da pressão para que abandone a presidência do Tribunal Supremo de Angola.

Uma onda de denúncias têm sido divulgadas nos últimos meses contra a figura do Rui Constantino da Cruz Ferreira, que para ele, estas informações visam o demover de continuar a liderar o Tribunal Supremo.

Em círculo “privado”, Rui Ferreira, aponta como líder desta cabala e promotor das respctivas acusações o General Fernando Garcia Miala, chefe do Serviço de Inteligência e Segurança do Estado (SINSE). 

Segundo Ferreira “estas acusações não fazem sentido” e que só podem estar a ser motivadas pelos seus detratores, “nem vou perder tempo com isso” dizia Rui Ferreira a fontes próximas.

Rui Ferreira foi inicialmente criticado pela UNITA, que segundo seu presidente Isaías Samakuva, a forma de eleição de Rui Ferreira viola a constituição, por isso, na altura, escreveu para a Procuradoria Geral da República, mas até ao momento não houve qualquer resposta. 

De lá para cá, aumentam o tom das acusações. Recentemente os irmãos Artur de Almeida e Silva e Francisco Mateus Dias dos Santos vieram a público acusar Rui Ferreira, seu antigo advogado, de se ter apoderado dos bens da sua empresa, a conhecida Arosfran,.

Que enquanto sociedade comercial de direito angolano, foi criada em 1992, na Conservatória do Registo Comercial de Luanda pelos dois irmãos.

Fonte: CM

REAÇÕES

COMENTÁRIOS