Responsável da UNITA na Holanda ingressa ao MPLA e diz que Galo Negro é tribalista
O responsável da UNITA na Holanda, João Cololo, acabou por abandonar a organização que militava e ingressou nas fileiras do MPLA, pelo facto de existir tribalismo no sei do Galo Negro, e por considerar o ‘’MPLA o melhor de Angola’’.
Arquivo

‘’Eu pensava que depois da guerra ou tempo de paz, a UNITA pudesse vir ser um movimento ou partido nacional, mas não, temos um lugar de vice-presidente o senhor que é de Cabinda, o lugar de vice-presidente na UNITA é para se defender quando eles são tocados na parte do tribalismo, então vão dizer, não está ali o vice-presidente é do norte’’, disse João Cololo. 

Com muitos anos acumulados nas fileiras da UNITA, João Cololo, disse constatar em várias províncias do norte do país, que os secretários provinciais da UNITA não estão sozinhos, ‘’tem um anónimo que é mais acreditado pelo executivo nacional, aquele nato só serve para fazer mobilização e buscar votos.’’ 

Por isso, o responsável recorre as palavras de António Agostinho Neto, ‘’de Cabinda ao Cunene somos um só povo e uma só nação’’, para esclarecer ‘’quem vem para unidade e quem vem para destruir’’. 

Em conferência de imprensa realizada nesta quarta-feira, 4, numa das unidades hoteleiras de Luanda, o agora militante do MPLA, disse ainda, ‘’não há razão de ver a UNITA como um partido que pode criar uma boa governação para Angola e os angolanos’’. E alerta os angolanos, ‘’vale apenas a crise porque pode passar, mas os conflitos tribais que a UNITA pode trazer na sua governação, são conflitos que poderão prolongar anos ou décadas de anos, como podem trazer guerra civil no país.’’ 

João Cololo, está disponível em fazer campanhas em qualquer zona de Angola, por isso, pede a direcção do MPLA que coloque-o na campanha eleitoral.

REAÇÕES

COMENTÁRIOS