Prostituição de risco por apenas dois dólares
Trata-se de uma reportagem do portal "Sai Demónio", sobre a rota da prostituição no bairro de badia, na Nigéria
Foto de Ton Koene

Segundo relata a reportagem, as prostitutas vivem em situações precárias, a cada noite, cinco homens passam por elas e durante o dia muitos outros pagam para usá-las. Os clientes estão cientes de que as mulheres que oferecem serviços sexuais nesta área estão infectadas pelo vírus VIH, SIDA.

 Muitas mulheres encontram na prostituição uma forma de manterem-se no bairro de Badia, o acto custa apenas dois dólares aos turistas e aos nigerianos que vivem na área.

“Os homens pagam mais por mulheres menores. Algumas delas dizem que também as visitam brancos, quase sempre gordos e feios, mas são aqueles que têm mais dinheiro,” revela a nossa fonte.

 O fotógrafo Ton Koene, responsável pela reportagem disse que “os clientes estão cientes de que as mulheres que oferecem serviços sexuais nesta área estão doentes, mas também não usam preservativos”.

“Quando você aproxima-se do carro, sente-se o cheiro do vírus da SIDA que vem de lá de fora”, relevou o motorista que transportava o fotógrafo neste subúrbio da África Ocidental, continuou dizendo “as meninas lá, quanto mais bonitas e mais jovens, mais caras são. Homens visitam-nas como se estivessem caminhando por um supermercado.”

De salientar que, em Angola a prostituição é uma actividade praticada em zonas urbanas principalmente nas grandes cidades como: Luanda (Vila de Viana, Ilha de Luanda, no Ex-Roque Santeiro, Martíres do Kifangondo, centralidade do Kilamba…), Zaire, Cabinda, Lunda Norte, Lubango, Benguela e outras. A principal causa é pensa-se ser a carência de bens, daí a pratica é tida por muitas mulheres como a única forma de conseguir valores monetários para satisfação das suas necessidades.

REAÇÕES

COMENTÁRIOS