Proibição de importação de frango visa proteger concorrência
De acordo com a representação angolana dos matadouros brasileiros BRF, responsáveis das marcas de frango congelado Sadia e Perdigão, considera a decisão da União Europeia, de uma “protecção do mercado local e não por questões de saúde”.

Segundo relevou à fonte da Angola-Online, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil, considera a decisão da União Europeia em relação a proibição de importação de frango congelado das marcas Sadia e Perdigão de política de protecção contra a concorrência estrangeira.

“A decisão parece ter sido motivada pela protecção do mercado local e não por questões de saúde e qualidade”, escreve a representação da BRF, citando o ministério brasileiro. 

A informação foi avançada depois dos órgãos de informação, tornarem a público as medidas impostas pela União Europeia, no sentido de proibir as importações da marca brasileira, devido o risco para a saúde humana.  

Motivo que obrigou as autoridades angolana, a contactarem a marca brasileira BRF, no sentido de mais esclarecimentos sobre o assunto. 

Em uma nota de imprensa, a empresa brasileira, refuta as suspeitas europeias e garante que “pretende fazer valer os seus direitos perante os órgãos europeus competentes e apoia integral.

Fonte: JA e Redacção

REAÇÕES

COMENTÁRIOS