Presidente do Petro pode deixar clube após manifestação de adeptos
O presidente do clube desportivo, Petro de Luanda, Tomás Faria, vai deixar a direcção do clube, sob substituição de Barros Vinhas “Bavi”, duas semanas depois de os adeptos se terem manifestado para o seu afastamento, face às derrotas contínuas e suposta má direcção do mesmo durante o seu mandato.

De acordo com a fonte da Angola-Online, a eleição deste antigo avançado “tricolor” deve acontecer em Junho/Julho do próximo ano, altura em que termina o ciclo olímpico e a consequente renovação de mandatos nas instituições desportivas, com a realização de uma Assembleia-Geral ordinária e depois a eleitoral. 

No discreto encontro de antigos presidentes de Direcção e da Mesa da Assembleia - Geral foi analisado o desempenho do elenco de Tomás Faria desde que assumiu à liderança em Abril de 2014, com realce para o futebol sénior há dez anos em jejum, depois do 15º título em 2009.

Nas três provas na época de 2018/19, a equipa falhou o Campeonato Nacional, a Taça de Angola e apesar de ter atingido a fase de grupos da Taça da Confederação Africana foi eliminada na primeira etapa.

Entretanto, esta possibilidade de substituição ocorre numa altura em que, em conferência de imprensa, em Maio passado, o actual líder “petrolífero” manifestou-se indisponível para concorrer a um segundo mandato, alegando falta de condições psicológicas.

Segundo a fonte, na próxima Assembleia-Geral ordinária, os sócios do clube podem aprovar o antigo logótipo da agremiação, bem como o regresso de alguns dirigentes afastados da actual estrutura da agremiação do "eixo -viário".

Fonte: Angop

REAÇÕES

COMENTÁRIOS