Polícia denuncia venda de chips sem BI por suspeita de crimes
A Polícia em Cabinda, denunciou nesta quarta-feira, 27, a venda de chips para clientes sem Bilhete de identidade, por suspeitas de crimes como burla, criação de perfis falsos e outros.

Publicidade

Publicidade

O comandante da polícia nacional em Cabinda, comissário Eusébio Domingos de Almeida e Costa, pediu a colaboração dos funcionários e responsáveis das instituições bancárias e das empresas operadoras de telefonia móvel para a denúncia de crimes de burla nos bancos e multicaixas.

Eusébio Domingos e Costa, que reuniu quarta-feira com os directores, gerentes dos bancos comerciais e responsáveis das operadoras da Movicel e da Unitel, considerou preocupante a tipicidade de crimes ligados com assalto a pessoas à saída de bancos e associados ao uso de telefones.

Para Eusébio de Almeida e Costa, a polícia está a trabalhar minuciosamente para identificar os elementos ligados a crimes de burlas com a utilização de perfiz falsos.

Pediu as operadas de telefonia para se pôr fim à venda de chips sem a cópia ou o bilhete de identidade e fora das agências credenciadas para o efeito, por alimentarem os crimes de burla e criação de perfiz falsos nas redes sociais.

Os responsáveis bancários e das operadoras de telefonia móvel comprometeram-se em colaborar com os órgãos da polícia na denúncia destes crimes, para salvaguardar os seus clientes e as suas instituições, quando nos últimos meses registam-se ocorrências, com muita frequência, de crimes contra clientes a saída de bancos.

Fonte: Angop

REAÇÕES

COMENTÁRIOS