PGR investiga IURD por prática de castração química
A procuradoria-geral da República PGR, está a investigar o “escândalo” da Igreja Universal por alegada prática de castração química, a que muitos pastores angolanos têm sido submetidos, para além de evacuação de divisas para o exterior.

Publicidade

Publicidade

A 28 de Novembro último, um grupo de bispos e pastores anunciou a ruptura com o bispo Edir Macedo, líder da igreja, por alegadas práticas doutrinais contrárias à religião, como a exigência da prática a vasectomia, além da evasão de divisas para exterior do país.

Um comunicado assinado por mais de 300 bispos e pastores angolanos denunciou que, nos últimos 12 meses, a liderança brasileira, por orientação de Edir Macedo, passou a forçar os pastores angolanos a submeterem-se ao processo de vasectomia.

Em resposta, a direcção da Igreja Universal declara que se trata de uma "rede de mentiras arquitetadas por ex-pastores desvinculados da instituição, por desvio moral, de condutas e até criminosas, com o único objectivo de terem a sua ganância saciada".

A PGR tomou conhecimento da denúncia de 28 de Novembro e acredita que surgiram “novos elementos” que, certamente, serão levados a apreciação, objectivo de trabalho e investigação.  

A Igreja Universal do Reino de Deus em Angola é uma instituição religiosa de direito angolano, registada no Ministério da Justiça, sob o número 26, e publicado no Diário da República em 17 de Julho, I Série, número 28.

Fonte: Angop

REAÇÕES

COMENTÁRIOS