ONU apoia campanha contra corrupção em Angola
A Organização das Nações Unidas (ONU) vai continuar a apoiar Angola na luta contra a corrupção e todos os males sociais que impedem a prosperidade da sua população, afirmou, este sábado, em Luanda, o representante deste organismo no país, Paolo Baladeli.

Sem precisar como se efectivará tal apoio, considerou a corrupção um cancro mortal que invade entidades, sociedades e anula as potencialidades para o desenvolvimento de um país e da sua população.

Ressaltou que a corrupção é um desafio complexo que persiste em muitos países do mundo.

Fez saber que o tamanho de recursos ilícitos no mundo, a cada ano, é de aproximadamente 2,5 triliões de dólares americanos, dos quais 1,5 triliões em suborno é um trilião por perda de capitais dos países em vias de desenvolvimento.

O representante da ONU em Angola falava sobre a experiência internacional no combate à corrupção e ao branqueamento de capitais, no acto de abertura da campanha de moralização da sociedade sob a égide do MPLA (partido no poder).

Segundo Paolo Baladeli, estima-se que o fluxo de capitais ilícitos é dez vezes mais alto que o montante actual para ajuda dos países em desenvolvimento no mundo.

“Se somarmos essas perdas até ao ano de 2030, o total obtido é muito superior aos dez triliões necessários para erradicar a pobreza no mundo”, observou o diplomata.

Para ele, a corrupção rouba recursos vitais às escolas, aos hospitais, à protecção, priva os cidadãos dos seus direitos e anula oportunidades de investimentos estrangeiros.

Afecta, igualmente, a justiça “porque os oficiais públicos ficam também envolvidos em processos perversos e fecham os olhos para a solução dos problemas que obstaculizam o desenvolvimento sustentável da população”.

Fonte: Angop

REAÇÕES

COMENTÁRIOS