Muitas mulheres angolanas vivem com problemas de orgasmo
A revelação foi dada pela médica e especialista em psiquiatria, Nininha Cunha D’Angola, que lançou na última quarta-feira, o livro intitulado “Mulher e Anorgasmia: Questões relacionadas ao prazer sexual feminino”, na União dos Escritores Angolanos, em Luanda.

De acordo com autora em entrevista à Angola-Online, revela que mulheres angolanas ainda enfrentam dificuldades para atingir orgasmo, e por sua vez, na sua maioria desconhecem o problema. 

Segundo Nininha Cunha D’Angola, o livro que resulta de estudo realizado a um grupo de mulheres do meio urbano, com as idades compreendidas dos 20 aos 30 anos, tem como a finalidade de alertar sobre a existência de uma condição que afecta um grande número de mulheres com Anorgasmia ou simplesmente dificuldade ou ausência de orgasmo.

Avança ainda que, não pretende que o livro seja um manual de leitura e cumprimento obrigatório, “mas quero que ele chame a atenção a existência desta condição que muitas mulheres que com ela vivem, mas desconhecem”. Com uma abordagem aberta, Nininha traz para cada leitor, um conteúdo de ajuda mais ao nível educativo e informativo.

Anorgasmia que é uma disfunção sexual caracterizada pela ausência ou dificuldade de alcançar o orgasmo. Actualmente, 60% da população feminina mundial sofre com este mal.

Sem avançar dos dados de quantos mulheres angolanas vivem disso, Nininha Cunha D’Angola, respondeu que não sabe o numero certo de quantos mulheres vivem com isso, por não existir ainda nenhum estudo realizado no país.

“Mas fica lançado o desafio para a sociedade angolana, quem sabe alguém se interesse em fazer um estudo” disse.

Com cerca de 100 páginas, o livro conta com mil exemplares produzidos nesta primeira edição, e está a ser comercializada no preço de 2000 kwanzas.

Redacção

REAÇÕES

COMENTÁRIOS