Ministro declara «guerra» em Luanda
O ministro do Interior, Ângelo da Veiga Tavares, afirmou que a grande atenção no combate à criminalidade está virada a Luanda. Segundo o titular da pasta, a cidade capital registra só no primeiro trimestre deste ano, uma média de 149 crimes, o que equivale a 35 por cento dos delitos cometidos em todo o país.
Arquivos

Em entrevista à fonte da Angola-Online, Ângelo da Veiga Tavares, revelou que grande parte dos crimes violentos é cometida por pessoas muito próximas às vítimas. Deste modo, apelou a população a denunciar os criminosos, mesmo quando são integrantes da família. 

“Há toda a necessidade de recursos às políticas de segurança pública para dar resposta aos crimes cometidos por marginais. Devemos também repensar um pouco mais à nossa sociedade, que começa a dar sinais claros de alguma desestruturação da família, de algum estado psicológico que requer uma abordagem mais profunda”, sublinhou.

De acordo com Ângelo da Veiga Tavares, é fundamental melhorar as estruturas sociais, sobre a questão da iluminação pública. Se estes problemas não forem ultrapassados, pode registar-se uma subida dos crimes, alertou o ministro.

Apesar da forte acção dos efectivos da Policia Nacional, os criminosos continuam a actuar na cidade capital. 

Em denúncia ao nosso portal, uma cidadã, que pede para não ser identificada, foi assaltada ontem, quando saia do trabalho, por volta das 18 horas, no bairro Vila-Alice, em Luanda. Segundo a cidadã, os dois assaltantes que se faziam acompanhar de uma motorizada, estavam armados e conseguiram levar toda sua documentação e telemóvel.

Numa altura que Policia Nacional, tem levado a cabo várias operações em todo país, dos quais, a operação “Relâmpago” que realizou-se nos dias 21 e 22 do corrente mês, onde foram detidos 1197 cidadãos, 737 foram em flagrante delito e outros 328 por sequência investigativa.

JA, PN e Redacção

REAÇÕES

COMENTÁRIOS