Minha Banda: Avó Kumbi continua cheia de rugas
Avó Kumbi, bairro do Golfe 1, município do Kilamba Kiaxi, em Luanda, a comuna tem uma extensão de 31 quilómetros quadrados e uma população estimada em 475 mil e 733 habitantes.

Rede viária

As más estradas impedem a circulação de pessoas e mercadorias. O acesso à comuna faz-se pela estrada Machado Saldanha e atravessando a comuna de Neves Bendinha. Mas ambas estão muito degradadas.

Para o taxista Pedro Santos, “esta rua tem sofrido obras paliativas, mas há já alguns anos que está em mau estado. Se antes foi o lixo a ocupar as faixas de rodagens, hoje são as águas e lamas que tomaram conta de tudo”. As populações reclamam a reabilitação das estradas, para poderem exerceras suas actividades e assim participarem no desenvolvimento do bairro.

Desporto e lazer

Os jovens praticam futebol, mas falta material desportivo,campos de jogos, pavilhões desportivos e locais de divertimento. Por isso cresce a delinquência juvenil e há registo de uma onda de criminalidade, resultante quase sempre do consumo excessivo de álcool.

“Jogamos quase todos finais de semana, no campo do 14, próximo da administração, embora que, já tivemos muitos campos cá no bairro, mas, infelizmente foram ocupados e invadidos pelos populares,” disse José Baptista morador do bairro há 25 anos.

Sábado, 19, começará mais uma edição do campeonato em futebol denominado “Pausa”, onde muitos jogadores que actuam no Girabola, aproveitam assim a pausa do campeonato nacional para mostrarem os seus toques no bairro, e alegrando assim, os fãs e amantes da bola.

“Quando o “Pausa” começa, o bairro ganha outra dinâmica, quase todos amantes do futebol vêm para cá, este campeonato arrasta multidões, o “Lama” é o clube com maior destaque, já teve Ary Papel como referência, e tantos outros nomes,” disse José Baptista.

Para além do futebol, os jovens do Avó Kumbi, gostam de festas, discotecas e sentadas, onde o álcool ganha o destaque, “para que a juventude esteja distantes da delinquência, precisamos oferecer uma dose de diversão controlada. Procuramos realizar festas com uma maior segurança, para maiores de 18 anos, proporcionar um ambiente de grande euforia, mas, dentro dos padrões. Além de investir na segurança, a nossa organização prima muito no marketing e repudiamos as publicidades enganosas,” palavras de Alex Zola, membro da Black Shine (Promotora de Eventos), “por essa banda eu faço Tudo «Wélessé»,” revelou.

Serviços de saúde

O bairro Avô Kumbi, conta com uma unidade hospitalar de referência como mesmo nome, tem mais de 40 camas, berços e ambulâncias, o hospital tem registado mais de 200 pacientes por dia no banco de urgência. E nos fins-de-semana o hospital tem registado uma demanda maior.

Apesar dos avanços neste sector, a população continua a passar por grandes problemas “os técnicos são insuficientes para atender às necessidades, por isso, é que ainda morre-se muita gente no banco de urgência”,revelou um morador.

Dificuldades

A falta de energia eléctrica e água potável continuam a ser um problema para Angola, sobretudo na capital Luanda. Muito já se falou sobre os motivos da ausência destes bens, e o bairro Golfe 1, vive com estes grandes problemas. O Chafariz não jorra água há mais de cinco anos, e a população procura alternativas.

“A energia falha quase todos os dias, e desde que os chineses colocaram aqui os tubos de abastecimento do projecto “Água Para Todos”, as nossas torneiras nunca escorreram água, e somos obrigados a percorrer quilómetros em busca do precioso liquido, ou então, pagar valores altos aos Kupapatas,” lamentou a moradora Fátima de Jesus.

Redação

REAÇÕES

COMENTÁRIOS