Líder do Estado islâmico morto na Síria
O líder do grupo terrorista do Estado Islâmico, Abu Bakr Al-Baghdadi, morreu neste sábado, numa operação militar dos Estados Unidos, na Síria, informou Donald Trump.

A informação foi confirmada pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, neste domingo, 27, que o corpo do terrorista foi identificado 15 minutos depois da morte, por meio de teste de DNA. 

“Na noite passada, os Estados Unidos levaram o chefe terrorista número um do mundo à justiça. Abu Bakr al-Baghdadi está morto”, anunciou o presidente americano.

De acordo com Trump, o chefe do EI se suicidou, utilizando um colete com explosivos, em um túnel, em que era perseguido durante a acção conduzida pelas tropas americanas.

A detonação ainda causou a morte dele e de três filhos. “Morreu como um cachorro, como um covarde”, atacou, classificando a missão como “impecável” e “ousada” e afirmou que nenhum soldado americano foi morto, ao contrário do que aconteceu com membros do EI.

A informação sobre a morte do terrorista já havia sido adiantada pelas emissoras americanas CNN e ABC e pela agência Reuters, por isto no Twitter, na madrugada de domingo, Trump anunciou, sem dar mais detalhes, que “alguma coisa muito grande” havia acabado de acontecer.

Trump se dirigiu aos governos de Turquia, Rússia, Síria, Iraque e também às lideranças curdas, pela aliança que possibilitou a localização de Al Baghdadi. Além disso, parabenizou os integrantes das forças especiais e também os serviços de inteligência americanos, por uma operação que classificou como “muito perigosa”.

Seu nome de baptismo é Ibrahim Awad Ibrahim Ali al-Badri al-Samarrai, mas escolheu ser chamado de Abu Bakr al-Baghdadi al-Hosseini al-Quraishi quando se juntou ao Estado Islâmico em homenagem a Abu Bakr, primeiro califa após a morte de Maomé, e à tribo do profeta, Al-Quraishi.

Fonte: Veja.com

REAÇÕES

COMENTÁRIOS