Kundi Paihama acusado de intimidar população do Cunene
O governador do Cunene está ser acusado de intimidar a população e a fazer regredir os ganhos da democracia que a província alcançou ao longo dos tempos, pelo secretário executivo da associação de Defesa dos Direitos Humanos Amename-Omuno, padre Gaudêncio Felix Yakuleingue.
Fotografia de Angop

As acusações surgem no momento em que a população do Cunene, sente-se privatizada de desenvolver pensamento crítico, e de sentir que os ganhos alcançados pelo já falecido António Didalelwa, ter sido deflagrados por Kundi Paihama, informou a VOA.

“Há na província do Cunene violência verbal contra a população”. O povo não pode a ser tratado desta forma”, lamentou o padre Gaudêncio Felix Yakuleingue, garantindo ainda que é preciso encontrar formas que permitam ao cidadão viver com dignidade e paz no seu território.

Por outro lado, os citadinos da província do Cunene, queixam-se do montante de lixo localizado no hospital geral da província e garantem ‘’se não se resolver esta situação o mais rápido possível, correrão grandes riscos de adquirir doenças graves.’’

REAÇÕES

COMENTÁRIOS