Kim Jong-un executa cinco dirigentes por fracasso da cimeira com os EUA
Um jornal da Coreia do Sul tornou público a informação que dá conta que o líder norte-coreano, Kim Jong-un, terá executado o emissário especial para os Estados Unidos, depois do fracasso da segunda cimeira com Donald Trump.

O diário Chosun Ilbo afirmou que Kim Hyok-chol, responsável pelo trabalho preparatório antes da cimeira de Hanoi, em Fevereiro passado, e que viajou até à capital vietnamita a bordo do comboio privado de Kim Jong-un, foi alegadamente fuzilado por ter "traído o líder supremo", ao regressar dos Estados Unidos depois da cimeira.

"Kim Hyok-chol foi executado em Março no aeroporto de Mirim com quatro altos responsáveis do Ministério dos Negócios Estrangeiros, na sequência de um inquérito", garantiu o jornal, que citou uma fonte não identificada.

O diário não avança o nome das outras pessoas que terão sido executadas.

Lusa

REAÇÕES

COMENTÁRIOS