Jovem jornalista faz críticas duras à TPA
O jovem Israel Campos, jornalista e repórter pelo jornal Opaís, fez críticas duras à Televisão Pública de Angola (TPA), por alegados atropelos de informação, ao passar reportagem em que falavam religiosos e outras figuras, a incentivar os jovens a desistir de realizar a manifestação prevista para amanhã, sexta-feira, 11, a decorrer em todo país.

A TPA passou no seu telejornal das 20 horas, nesta quarta-feira, uma matéria com o título “Paz Social” que consistiu em um conjunto de entrevistas à religiosos, actores e membros da sociedade civil sobre suas opiniões em relação aos protestos agendados para a próxima sexta-feira, 11, denominados “Manifestação Nacional - Não saio de casa”, organizados por um grupo de jovens artistas angolanos.

“Em um acto visível de VENDA de uma determinada linha de pensamento, curiosamente, ou não, todos os intervenientes da reportagem da TPA partilhavam da mesma ideia: discordar com as linhas de actuação da manifestação anunciada e exaltar aquilo a que chamam de “paz e tranquilidade social”, avançou Israel.

O que acabamos de ver na TPA, continuou, televisão que devia ser de todos nós, foi um claro serviço nojento de promoção de uma agenda e salvaguarda de interesses alheios, que pode ser chamado de tudo e qualquer coisa menos de jornalismo. É vergonhoso, a todos os níveis, termos de continuar a consumir um serviço de tão péssima qualidade mesmo em tempos ditos de “novos paradigmas”. 

“Em um exercício que consumiu mais de 4 minutos de tempo de antena, a TPA, através da sua reportagem, reafirmou, claramente, que continua ao serviço dos interesses das instituições do estado, e nunca, jamais, ao serviço da imparcialidade, do interesse público e dos angolanos”, referiu. 

Redacção / FB Israel Campos

REAÇÕES

COMENTÁRIOS