Jornalistas abandonam RNA e TPA devido más condições salariais
A afirmação do secretário-geral do Sindicato dos Jornalistas de Angola, Teixeira Cândido, que falava sobre a falta de acordo para o regresso de vários profissionais que em Janeiro último foram afastados por terem, supostamente, duplo vínculo laboral.

Teixeira Cândido salienta que as más condições salariais da rádio pública em Angola fez com que grandes profissionais abandonassem definitivamente a emissora, como são disso exemplo os jornalistas Celestino Gonçalves, Salú Gonçalves, António de Sousa e Joaquim Clemente.

Entretanto, também em declarações ao NJOnline, o secretário-geral do SJA disse não estar satisfeito com as respostas vindas da direcção da Televisão Pública de Angola (TPA) e da Rádio Nacional de Angola quanto ao caderno reivindicativo apresentado pelos funcionários em Fevereiro, essencialmente devido aos baixos salários e à falta de condições de trabalho.

"As respostas da TPA e da RNA não satisfazem as exigências do sindicato apresentadas no caderno reivindicativo em Fevereiro último e neste final-de-semana reunimos com os filiados em assembleia, onde decidimos dar quinze dias aos conselhos de administração para responderem", explicou Teixeira Cândido.

Caso contrário, em Junho, prossegue o sindicalista, "vamos declarar a greve porque é o que diz a lei".

Entre as reivindicações está a definição de um salário mínimo para a classe jornalística de 180 mil kwanzas, a criação de melhores condições de trabalho, definição de critérios para a atribuição de salários e a transparência nas receitas publicitárias. 

De salientar que o recente caso foi do jornalista e apresentador Salú Gonçalves, que abandonou a rádio nacional para ser apresentador do programa Fala Angola, da Tv Zimbo. 

REAÇÕES

COMENTÁRIOS