Isabel desmente transferência milionária e acusa serviços de inteligência por invasão
Isabel dos Santos acusou os serviços de segurança angolanos de acederem indevidamente aos computadores das suas empresas em Portugal, avança o Financial Times. Segundo a empresária angolana, este alegado acesso indevido teve o objetivo de estes serviços “forjarem e falsificarem” provas contra si.

ANÚNCIO

ANÚNCIO

Em entrevista telefónica ao jornal britânico, Isabel dos Santos diz estar a ser alvo de uma “caça às bruxas” por parte do Governo angolano e que está a preparar para lutar nos tribunais contra o arresto de contas bancárias e participações suas em empresas.   “Vai ser uma luta muito difícil”, disse a empresária ao Financial Times numa entrevista publicada no domingo.

A filha do ex-presidente angolano disse que estava preparando uma contestação legal contra o que ela caracterizou como uma tentativa de João Lourenço de desmantelar seus negócios e "apagar o legado" de 38 anos do governo do seu pai, José Eduardo dos Santos.

"Nunca recebi empréstimos do Estado, tivemos empréstimos de bancos privados", disse ela. Isabel dos Santos acrescentou que ela tentou pagar um empréstimo de 75 milhões de Euros à Sonangol em kwanza, a moeda local, mas que o pagamento foi deliberadamente bloqueado.

Isabel dos Santos disse ainda que criou sua riqueza e empregos graças à sua perspicácia nos negócios. “A imprensa me chama de princesa. “Não conheço muitas princesas que saem da cama para construir supermercados”, afirmou.

Empresária angolana disse ser “falsa e forjada” a alegação que tenha ordenado uma transferência de uma conta do general Leopoldino do Nascimento para uma conta na Rússia “como é também falsa a afirmação da intervenção da polícia judiciária portuguesa” no caso.

Fonte: Angola 24 Horas

REAÇÕES

COMENTÁRIOS