INAGBE anuncia inscrições para 6500 bolsas de estudo
As inscrições para as mais de seis mil bolsas de estudo internas de graduação e pós-graduação, anunciadas pelo Instituto Nacional de Gestão de Bolsas de Estudo (INAGBE), têm início na próxima sexta-feira (24) até 22 de Junho e serão feitas através do portal “www.inagbeonline.com”.
Directora-geral do INAGBE, Ana Paula Elias.

A directora-geral do INAGBE, Ana Paula Elias, apresentou oficialmente ontem, em Luanda, em conferência de imprensa, o portal que vai estar disponível para as inscriações. Informou que, para este ano, há 6500 bolsas de estudo internas para todo o país, sendo 5500 para graduação (licenciatura) e mil para pós-graduação (mestrado e doutoramento). 

Disse que comparativamente ao ano anterior, este ano houve um acréscimo de 1.300 bolsas, recordando que em 2018 o INAGBE tinha disponibilizado apenas 5200 bolsas, das quais 4600 foram para graduação e 600 para pós-graduação. 

Ana Paula Elias explicou que tal aumento vem responder à meta preconizada pelo Executivo, que prevê, através do Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN), atribuir seis mil bolsas de estudo por ano. “Conseguimos mais um acréscimo de 500, além do previsto pelo PDN”. 

A responsável esclareceu que estão habilitados às bolsas de estudo apenas os candidatos que estejam matriculados, inscritos e a frequentar um curso. Sublinhou que os que estiverem a frequentar instituições e cursos ilegais no país serão impedidos de competir.

De igual modo, também, serão impedidos de concorrer às bolsas de estudo internas os candidatos que concluíram o ensino médio e ficaram parados durante dois anos. 

De acordo com a directora-geral do INAGBE, como um dos critérios para a atribuição de bolsa de graduação, o candidato deve ter no máximo 25 anos, para mestrado 35 e para doutoramento 45, pois acima destas idades estará fora de hipótese. 

Nesta perspectiva, admitiu que os estudantes que apresentarem um certificado de mérito ou excelência, com certeza, terão mais possibilidades de conseguir uma bolsa. Acrescentou que os candidatos que estiverem a frequentar os cursos considerados prioritários e deficitários para as necessidades do país, no caso de os de Engenharia, Ciências da Saúde, Medicina, Artes, Desportos e Agronomia, estes também serão facilmente contemplados. 

As candidaturas online, segundo a responsável, vão ajudar a reduzir o esforço humano que outrora era feito. Disse que em 2018, o INAGBE recebeu das instituições de ensino superior 24 mil candidaturas que foram inseridas no sistema manualmente.

Ana Paula Elias disse ainda que com o portal será feito uma gestão actualizada do cadastro dos candidatos de uma única vez. Neste caso, explicou que se um candidato reprovado pretender recandidatar-se, numa próxima ocasião, não será preciso inserir novamente os dados.

“O que ele terá de fazer é, a partir do seu login, entrar, actualizar e candidatar-se às bolsas de estudo que estiverem disponíveis naquela altura”, realçou.

O INAGBE tem, neste momento, a nível do país, 15.780 bolseiros internos, dos quais 14.806 de graduação, 974 de pós-graduação e estão distribuídos nas diversas instituições de ensino superior legalmente regularizadas. 

No exterior, a instituição tem actualmente 3.617 bolseiros distribuídos em 23 países, dos quais 3.060 de graduação e 557 de pós-graduação. 

Neste momento, as bolsas de estudo externas estão suspensas, devido ao difícil momento financeiro que o país atravessa. Os subsídios de todos os bolseiros externos estão pagos até ao mês de Março, estando neste momento a decorrer o pagamento do mês de Abril.

Site do INAGBE

Fonte: Jornal de Angola

REAÇÕES

COMENTÁRIOS