Hospital que poderia cuidar da saúde de João Lourenço «aberto ao público»
O Presidente da República, João Lourenço, assegurou, no último sábado, que o Hospital Pedro Maria Tonha "Pedalé", em construção, em Luanda, estará aberto ao público, contrariando informações de que o mesmo atenderia apenas a classe política do país.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

O Chefe de Estado fez saber que os constrangimentos de ordem financeira para a construção do Hospital Pedro Maria Tonha “Pedalé”, em homenagem ao ex-ministro da Defesa do Governo angolano, serão resolvidos para que as obras não voltem a paralisar.

A empreitada do hospital, localizado na zona do Gamek, distrito urbano da Maianga, teve início em 2012 e foi suspensa em 2016, cujos objectivos da referida unidade hospitalar, avaliada em 220 milhões de dólares, é dar resposta às solicitações da junta nacional de saúde e da junta médica militar.

A estrutura pretende ser a primeira unidade hospitalar acreditada por entidade internacional independente e uma referência regional ao nível de outros cuidados de saúde prestados, indicou o engenheiro Miguel Esteves, coordenador da comissão instaladora da obra.

Constituído por quatro núcleos principais, com destaque para o edifício de três andares, o hospital terá capacidade para 144 camas, 36 gabinetes de consulta externa, 16 salas de exame, 33 cadeiras de hemodiálises, cinco blocos operatórios, um dos quais destinados à cirurgia robótica.

“O que está a faltar é essencialmente equipamentos e, havendo os pagamentos que são necessários, podemos inaugurar, pelo menos a primeira fase, ainda antes do final deste ano, o que seria o ideal”, declarou João Lourenço.

A segunda fase contempla a reabilitação do actual edifício, mas a prioridade, segundo o Presidente da República, é a primeira fase “para que possamos transferir depois os doentes do actual edifício para o novo edifício”.

Fonte: NMC

REAÇÕES

COMENTÁRIOS