História da criança espancada pela mãe choca a sociedade angolana
Uma oficial do Comando Geral da Polícia Nacional (PN) foi detida pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC) por crime de ofensas corporais graves contra a sua filha adoptiva, de nove anos, que espancou até desfigurar, no município de Viana, em Luanda.

Apolónia Escolástica, com o grau de inspectora-chefe, terá agredido a criança com socos, queimaduras nos membros inferior e superior com pedra quente, e, segundo fonte do Serviço de Investigação Criminal (SIC) que pediu o anonimato, terá ainda partido os dentes à menina com uma colher de pau, para além de ter tentado sufocá-la com uma almofada diversas vezes.

"Ela (a autora das agressões) foi detida por crime de ofensas corporais graves na segunda-feira,13, e foi posta em liberdade na quarta-feira, 15, sem ser ouvida pelo magistrado do Ministério Público (MP) junto do SIC-Viana", disse o SIC, revelando que a oficial da Polícia Nacional assumiu a autoria do crime "e responsabilizou-se pelo tratamento da menor sem, no entanto, ter feito nada até agora".

"A menina foi maltratada, queimada, a senhora inspectora-chefe Apolónia Escolástica foi posta em liberdade sem ser ouvida pelo MP, por ser colega e porque o chefe da investigação da Esquadra do Zango 0 decidiu assim", garantiu a fonte do SIC-Viana.

De acordo com a fonte da Angola-Online, o caso foi entregue ao SIC e posteriormente à Procuradoria-Geral da República (PGR) para os devidos procedimentos administrativos", disse, destacando que a liberdade da oficial da PN não depende da investigação criminal nem da PN, mas sim da PGR.

A historia da pequena foi rapidamente partilhada nas redes sociais, muitos internautas reagiram questionando a tamanha brutalidade, de como uma pessoa pode ter tal atitude. 

Fonte: Novo Jornal

REAÇÕES

COMENTÁRIOS