Governo russo garante investigação sobre «falhas» na indústria espacial
O recente incidente ocorrido com a nave espacial Soyuz MS-10, na passada quinta-feira, obrigou o governo russo a garantir uma investigação, no sentido de melhorar a sua indústria espacial.

Depois do incidente que envolveu os astronautas Alexey Ovchinin e Nick Hague, a aterrar de emergência devido a uma falha no motor na nave Soyuz MS-10, o governo russo prometeu investigar e a Nasa garante acompanhar de perto. 

Sendo a Rússia a única que há anos pode enviar naves tripuladas com destino à Estação Espacial Internacional (ISS) devido à aposentadoria das naves americanas, por isso que tem uma responsabilidade especial.

Quanto à falha, o vice-primeiro-ministro russo destacou que o sector espacial é de alta tecnologia, estreitamente ligado ao risco, e referiu-se a "quantos acidentes e casos trágicos houve na história da cosmonáutica americana".

De salientar que, o primeiro satélite angolano AngoSat-1, foi construído por um consórcio russo liderado pela corporação RKK Energia, uma das empresas mais importantes da Rússia no sector espacial. 

Por motivos técnicos o satélite foi substituído por AngoSat-2, que está em construção pela mesma companhia, sem despesas para Angola, este processo devendo demorar até 2020, altura do seu lançamento.

Angop e Redacção

REAÇÕES

COMENTÁRIOS