Governador exonera direcção hospitalar por prática de bruxaria na Lunda
O governador da província da Lunda Norte, Ernesto Muangala, exonerou a direcção do maior hospital da província por "indisciplina dos gestores" que permitiram "rituais tradicionais e de bruxaria" numa das salas de internamento.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Segundo Ernesto Muangala, os gestores do hospital geral David Bernardino Camanga, na centralidade do distrito do Mussungue, foram exonerados por "indisciplina" tendo em conta o "incumprimento" das ordens superiores do governo provincial e do gabinete provincial da saúde.

Esta é a terceira vez que o governo da província da Lunda Norte, leste de Angola, exonera a direcção da unidade hospitalar apontando a "indisciplina" entre os motivos.

Recentemente, circulou pelas redes sociais um vídeo onde duas mulheres semi-despidas, procediam a rituais de macumba (feitiçaria), com cânticos e 'xinguilamentos' (comunicação em transe), a um paciente internado no hospital geral do Mussengue.

O ato mereceu também condenação e repúdio de Muanguala: "Não podemos permitir a convivência da medicina moderna com macumbas como aconteceu muito recentemente no maior hospital da nossa província", notou.

Na ocasião, o director do gabinete provincial da Saúde da Lunda Norte, Gime Nhunga, adiantou que foi instaurado um processo de averiguação e que as envolvidas estão já a prestar esclarecimentos ao Serviço de Investigação Criminal (SIC).

"Internamente, no hospital, estamos a tomar as medidas em relação à equipa que esteve em serviço, porque não é permissível que as mesmas [as senhoras] tivessem acesso à sala de observação", sublinhou.

Fonte: AO24H

REAÇÕES

COMENTÁRIOS