GOVERNADOR DO UÍGE NEGA-SE A OUVIR PROFESSORES CONSIDERADOS“FANTASMAS”
Na província do Uíge, mais de 50 professores estão quase um ano sem os seus salários por serem considerados “fantasmas” e ameaçam recorrer ao tribunal caso não seja solucionado o acaso com o governo provincial.

Os professores acusam o governador Paulo Pombolo, de recusar uma prévia negociação com os professores considerados “fantasmas”, pela morosidade que se verifica na resolução do problema que levou ao corte dos salários dos professores desde o mês de Janeiro.

Várias tentativas de negociações foram negadas, por este motivo dezenas de professores deslocaram-se ao Palácio Provincial do Uíge, na passada Sexta-feira (2), mas sem sucesso, “viemos aqui para perguntarmos ao senhor governador da província se alguma coisa já foi feita para resolver o nosso problema, visto que trabalhamos sem remuneração desde Janeiro, se não há solução vamos recorrer a outros recursos”, disse um professor ao VOA.

Neste momento os docentes exigem que lhes sejam pagos os salários dos 12 meses em serviço, “caso contrário terão que recorrer ao tribunal”.

Não é a primeira vez que casos como esse acontece no território nacional, várias províncias como Malanje, Luanda, Benguela e outras, algum tempo também viveram casos similares.

REAÇÕES

COMENTÁRIOS