General Sachipengo Nunda nega ter militares a confrontar na RDC
O general Sachipengo Nunda, desmentiu as informações que dão conta da presença de militares de Angola no apoio ao Governo do Presidente Joseph Kabila, tendo em conta a recente onda de conflitos naquele país vizinho, o general falava à imprensa, a propósito dos 25 anos da constituição das Forças Armadas Angolanas (FAA), data que se assinalou no domingo passado.

Em conferência de imprensa, o General fez saber que, “não existem militares nas frentes, por exemplo. Mas as Forças Armadas angolanas têm ajudado a República Democrática do Congo a formar soldados. Nós temos alguns soldados em Kitona, mas são instrutores, é uma base que fica praticamente na margem direita do rio Zaire, pode-se ver a partir do Soyo, no entanto, é onde temos instrutores ajudarem o governo da República Democrática do Congo”, disse.

Apesar do esclarecimento, algumas pessoas não acreditam que as tropas angolanas no cenário de confronto estejam somente como formadores, principalmente pela relação de proximidade entre os dois países. 

Como é o caso de um cidadão cujo nome não revelou, que indaga-se da posição da Angola no conflito que devasta a RDC.

"Estou quase certo que isso não é verdade, em meio de uma guerra Angola manda formadores?", questionou o entrevistado.

No centro das manifestações violentas que abalam as ruas da RDC, está a exigência da saída do poder de Joseph Kabila, que terminará o seu mandato em Dezembro, os cidadãos congoleses rejeitam que o mesmo se recandidate, b em como o adiamento das próximas eleições.

REAÇÕES

COMENTÁRIOS