Gémeas angolanas partilham o mesmo coração e deixam médicos sem solução
Os médicos lamentam que, não será possível a separação dos bebés siamesas que nasceram segunda-feira, em Luanda, na maternidade Augusto Ngangula, por partilham o mesmo coração.

Informação foi avançada em conferência de imprensa pelo director do hospital Pediátrico David Bernardino, Francisco Domingos, onde as gémeas siamesas foram transferidas após o parto, afim de serem operadas. 

“As bebés siamesas partilham o mesmo coração e o mesmo fígado. Com este achado imagiológico não é viável a intervenção cirúrgica”, fez saber o responsável.

Por outro lado, o responsável recordou que, “o sucesso desse tipo de situações é nulo. Houve várias tentativas no passado, que quanto a esta situação de sacrificar um dos gémeos em favor do outro, nenhum dos bebês chegou a ir para casa”.

Os médicos mantêm um prognóstico "bastante reservado" sobre estas gémeas, tendo em conta a "sobrecarga" aplicada ao coração que os dois recém-nascidos partilham.

Fonte: AO24

REAÇÕES

COMENTÁRIOS