Funcionários do Ministério da Saúde são julgados por desvio de 400 milhões de kzs
Os três funcionários do Ministério da Saúde acusados de desviar 400 milhões de Kwanzas do programa de combate a malária, serão julgados na segunda-feira.

Segundo o relatório da investigação da ONG “The Global Fund”, a coordenadora das Finanças e o coordenador adjunto do Programa Nacional de Controlo da Malária (PNCM), chegaram desviar as verbas do programa de 2013. "Ocultaram os desvios com documentação forjada e informação falsificada para dar às transacções uma aparência de legitimidade".  

A ONG com sede na Suíça, chegou a investir cerca de 95,4 milhões de dólares (82,5 milhões de euros), fornecendo "aos cidadãos angolanos um acesso universal à prevenção e tratamento". O governo angolano foi exigido pela ONG, a recuperar cerca de 3,6 milhões de dólares (3,1 milhões de euros), tendo recebido 2,9 milhões de dólares (2,5 milhões de euros) até 2016, por parte do MINSA.

"Foram implementadas medidas e sistemas de gestão financeira e controlo interno novas e mais rígidas, e estas serão exigidas para as subvenções novas do MINSA", apontou o relatório daquela ONG.

Fonte: Angola 24

REAÇÕES

COMENTÁRIOS