Fiscais adormecem com gorjetas, lixeiras tornam-se mercados
Muitos vendedores ambulantes comercializam os seus produtos ao pé do monte de lixo, da via Calemba 2 – Rotunda do Camama, pondo em risco as suas vidas e a de milhares de cidadãos que compram estes produtos. Este cenário preocupa os populares, bem como os automobilistas que encontram imensas dificuldades para circular nesta zona, por sinal onde a via está toda esburacada.
Foto e Texto de Pedro Nvakata

“Este amontoado de lixo defronte ao mercado e ao pé da estrada, já está há muito tempo. Ninguém faz nada. As senhoras vendem aqui carne, peixe e ervas, isso é um atentado a saúde pública. Os fiscais antes estavam sempre aqui, mas agora nem sei aonde foram! É, os policias só estão preocupados com os taxistas, é triste”, lamentou Simão Caetano, morador do Calemba 2.

Questionadas se soubessem do perigo que os alimentos expostos à radiação solar, às moscas e comercializados ao pé do lixo, causam a saúde, uma das vendedoras respondeu: “ Temos, mas é onde sai o sustento dos nossos filhos, vendendo aqui, nós temos mais facilidade de terminarmos com as nossas mercadorias”, disse dona Maria.

E quanto aos fiscais, dona Maria, “a Boqueira”, como é carinhosamente chamada, garantiu-nos que os homens responsáveis pela fiscalização, não têm feito nada, porque no fim das contas acabam com qualquer coisa no bolso, outros ainda namoram as vendedoras ambulantes.

Com as chuvas que caíram na cidade de Luanda, o lixo misturou-se com água, mesmo assim as vendedoras continuam a vender ao pé do lixo, o que pode provocar doenças como febre tifóide, Zica, malária e febre-amarela.

REAÇÕES

COMENTÁRIOS