Falta de combustível obriga pescadores abandonam o serviço
Uma gritante falta de meios de trabalho e de combustíveis afecta de forma negativa a produção dos pescadores do Huambo, levando um número considerável a abandonar as cooperativas para se dedicar à venda de forma isolada.

O director do Gabinete da Agricultura e Pescas do Huambo, que manifestou estas preocupações em declarações ao Jornal de Angola, afirmou que a situação se arrasta desde 2015, mas agravou-se nos últimos dois anos.

Para inverter esse quadro, o Gabinete estuda, com o sector privado, mecanismos para estabelecer um sistema de piscicultura de pendor empresarial, apoiado em rações e na instalação de tanques em fazendas da província.

O Gabinete da Agricultura e Pescas do Huamboconta com 89 técnicos, mas necessita de 450, 133 cooperativas de pescadores, 933 associações e 211 mil famílias.

Fonte: Jornal de Angola

REAÇÕES

COMENTÁRIOS