Fábricas de cimento voltam a funcionar graças a João Lourenço
O fornecimento de combustível as fábricas só foi possível graças a intervenção do Presidente da República João Gonçalves Lourenço.

O problema da falta de combustíveis nas fábricas de cimento do Kwanza Sul, no Sumbe, e da China International Fund, no Bom Jesus, estão ultrapassados, garantiu ontem o ministro da Construção e Obras Públicas, Manuel Tavares.

Manuel Tavares, ministro da Construção e Obras Publicas, garantiu que as fábricas de cimento do Kwanza Sul e da China International Fund, no próximo dia 10, vão poder adquiri o combustível Heavy Fuel Oil (HFO) que serve para a queima de clínquer, matéria-prima para a produção de cimento a partir da refinaria de Luanda.

Segundo o director de Relações Institucionais da Cimangola, Manuel Pacavira Júnior, ainda estão ser feitas as negociações para o fornecimento de combustíveis as mesmas fábricas.  

Por outro lado, o ministro garantiu que as fábricas de cimento do Kwanza Sul e da China International Fund, não dependerão mais da Cimangola, uma vez que passarão a receber o fornecimento de combustíveis a partir da refinaria de Luanda.

Manuel Pacavira Júnior sublinhou igualmente que com a reabertura das outras fábricas o problema de cimento vai acabar “estamos com um nível de entrega de seis mil toneladas/dia para o mercado, apesar do número não satisfazer o mercado. A nossa capacidade máxima tem aproximadamente 120 mil sacos dia e o mercado precisa de muito mais, com as fábricas paradas as coisas ficam mais difíceis”.

Fonte: Jornal de Angola Texto: Igor Silva

REAÇÕES

COMENTÁRIOS